Suspeito de espancar homem até a morte na CIC é procurado pela polícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

[ad_1]

A Polícia Civil divulgou nesta segunda-feira (24) a foto de um dos suspeitos de ter participado do assassinato de João Philip Gonçalves Nunes, de 23 anos. A vítima, segundo as investigações, foi espancada até a morte e teve o corpo localizado no início de dezembro do ano passado, na Cidade Industrial de Curitiba.

Além de Francisco Domenny, a polícia acredita que outras cinco pessoas estejam envolvidas na morte de João. Uma delas foi presa temporariamente na última sexta-feira (21). De acordo com a polícia, o suspeito, de 19 anos, seria o mandante do crime.

Foto: Divulgação/PCPR

Outras duas pessoas também já teriam sido identificadas pela polícia no decorrer das investigações. Uma destas seria a ex-companheira da vítima, de 27 anos. Já o outro suspeito seria o atual namorado da mulher, de 22 anos.

“Os dois são investigados por homicídio qualificado e subtração de incapaz. No momento, eles estão foragidos”, divulgou a Polícia Civil.

Assassinato de João

João Philip Gonçalves Nunes foi morto espancado por quatro homens encapuzados após chegar em um endereço repassado a ele.

Em seguida, os criminosos teriam jogado o corpo dele no local em que foi localizado, em 5 de dezembro de 2021.

Após a morte do jovem, a ex-companheira dele fugiu e levou a criança de 4 anos, afirmou a polícia. A mulher teve sua prisão temporária decretada por homicídio qualificado e subtração de incapaz. 

Ainda em dezembro, a polícia divulgou a foto da mulher identificada como Maria Eliza Moreira Marins na tentativa de conseguir informações sobre o paradeiro dela.

Motivação

Informações divulgada pela polícia dão conta de que Maria Eliza planejou a morte do ex em decorrência de uma batalha judicial. O casal conviveu durante três anos e se separou em 2019. No ano de separação, os dois começaram a disputar a guarda do menino.

Em 2021, a mulher teria buscado a criança na casa do pai para visita, porém não a devolveu. No dia 2 de dezembro, João Philip viajou até Curitiba para buscar o filho, mas foi surpreendido e morto pelos criminosos.

[ad_2]

Fonte: Banda B