Prefeitura de Porto Real paga auxílio financeiro tecnológico a profissionais da Educação

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

[ad_1]

O prefeito Alexandre Serfiotis destaca que esta valorização dos profissionais de educação é um importante passo para garantir uma educação de qualidade aos estudantes – Foto: Reginaldo Real(PMPR).

Porto Real- Com o intuito de garantir o ressarcimento das despesas obtidas pelos profissionais do magistério das escolas da rede municipal de ensino durante o período de pandemia da Covid-19, a Prefeitura Municipal de Porto Real realizou neste sábado, 29, o pagamento do auxílio financeiro tecnológico.

Segundo a Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Turismo (SMECT), os recursos utilizados são oriundos do Fundeb, sendo repassados para mais de 300 profissionais que desenvolveram atividades diretamente relacionadas ao processo do ensino e aprendizagem dos estudantes durante a vigência do ensino remoto emergencial e ensino híbrido.

A SMECT ainda destaca que o auxílio foi concedido para os seguintes profissionais: professores da Educação Infantil, Educação Especial, EJA e Ensino Fundamental I e II, orientadores educacionais, orientadores pedagógicos, diretores gerais e diretores adjuntos. “Nosso objetivo é cumprir as ações estabelecidas no Plano de Ação da SMECT frente ao período da pandemia, onde o pagamento será efetuado em um único vínculo, independentemente da quantidade de matrículas do servidor”, explica Maria Madalena Ferreira, secretária de Educação.

Já o prefeito Alexandre Serfiotis destaca que esta valorização dos profissionais de educação é um importante passo para garantir uma educação de qualidade aos estudantes.
“Sabemos que o período da pandemia trouxe diversos problemas à educação e os professores foram peças importantes para garantir o ensino junto a comunidade escolar, já que o ensino remoto e híbrido passou a ser uma realidade na educação mundial. Reconhecemos que para cumprimento de algumas exigências e orientações feita pelo Ministério da Educação, por meio do Conselho Nacional de Educação, foi necessário desenvolver novas técnicas de ensino, visando assegurar o direito à educação para todas as crianças e jovens do município” disse Alexandre Serfiotis.



[ad_2]

Fonte: Diário do Vale