Niterói decreta luto de três dias pela morte do intelectual Aníbal Bragança

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

[ad_1]

O prefeito Axel Grael decretou luto oficial de três dias em Niterói, a partir deste sábado (5), em razão do falecimento do intelectual Anibal Bragança, ex- diretor da editora da Universidade Federal Fluminense – EdUFF . 

Bragança trabalhou por 20 anos como livreiro em Niterói e foi um dos fundadores da Associação Nacional de Livrarias  e da Associação das Livrarias e Papelarias do Estado do Rio de Janeiro.

“Recebi com profunda tristeza a notícia do falecimento de Aníbal Bragança, amigo de longa data. Nascido em Portugal, veio para Niterói aos 12 anos e construiu uma linda trajetória aqui. Foi livreiro, escritor, professor da UFF, onde ministrou aulas no Instituto de Arte e Comunicação Social (IACS), no curso de Comunicação e de Estudos de Mídia. Além de amigo, Aníbal foi um importante intelectual da nossa cidade, criador da Livraria Pasárgada, talvez a mais importante que Niterói já teve. Quando iniciamos o Movimento de Resistência Ecológica (MORE), na década de 1980, as reuniões eram na Pasárgada. Nos encontrávamos no escritório do Aníbal e a presença dele era muito marcante! Ele participava das discussões, dos debates e acrescentava sua sabedoria de maneira forte e significativa. Grande perda. Vai fazer muita falta.Vai em paz, amigo! Todo meu carinho e solidariedade aos familiares” disse na manhã de hoje Axel Grael.

Estudioso do livro e da leitura no Brasil, Aníbal Francisco Alves Bragança, era Bacharel em História pela Universidade Federal Fluminense (1975), mestrado em Ciências da Comunicação (Jornalismo e Editoração) pela USP – Universidade de São Paulo (1995) e doutorado em Ciências da Comunicação também pela Universidade de São Paulo (2001).

Além de dezenas de outras atividades acadêmicas de grande relevância, exerceu a coordenação nacional do Programa Nacional de Incentivo à Leitura (Proler), da Fundação Biblioteca Nacional. Publicou livros e artigos em revistas acadêmicas no Brasil e em Portugal. Foi Secretário Municipal de Cultura, da Prefeitura de Niterói (1989-1990). Bragança recebeu algumas honrarias devido ao seu exaustivo trabalho de estudo, pesquisa e divulgação da história da letras, entre esses : título de “Intelectual do Ano 2007-2008”, concedido pelo Grupo Mônaco de Cultura, título de Cidadão Honorário de Niterói, Medalha José Cândido de Carvalho e Medalha Professor Felisberto de Carvalho, todos concedidos pela Câmara Municipal de Niterói; recebeu também a Comenda de Honra ao Mérito, concedida pela Presidência da República Portuguesa. 

Bragança pertencia à Academia Niteroiense de Letras.

[ad_2]

Fonte: O São Gonçalo