Expansão de cracolândia preocupa moradores de São Gonçalo

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

[ad_1]

Moradores e comerciantes de ruas próximas ao Centro de São Gonçalo, reclamam do crescimento e surgimento de cracolândias. Com o aumento da população de rua pela cidade, cresce também o número de usuários de drogas e, consequentemente, aumenta a insegurança.

Essa não é a primeira vez que O SÃO GONÇALO recebe reclamações como essa. Em março de 2021, há quase um ano, o OSG mapeou locais que registravam um número elevado de usuários de drogas que migraram para o município. Um desses pontos foi a Rua Aluísio Neiva, no Centro, que já foi considerada uma rua de moradias de alto padrão, chegando a ser apelidada de ‘Rua dos Magnatas’. A via hoje é tomada por usuários de drogas em toda sua extensão. O ponto é estratégico, já que se localiza próximo ao Escadão do Menino Deus, comunidade onde é possível obter o crack. 

 



Na rua Aluísio Neiva é possível ver uma grande quantidade de usuários pela rua



Na rua Aluísio Neiva é possível ver uma grande quantidade de usuários pela rua | Foto: Arquivo OSG




 

Mas o que mais preocupa os moradores e comerciantes é a expansão desses pontos. Nas últimas semanas, um grupo de pessoas em situação de rua passou a ocupar a Rua Zeferino Reis, ao lado do Shopping Partage. Segundo moradores, eles ocupam a via a noite para fazer uso de drogas.  

 



Pontos de usuários e moradores de rua se espalham por SG



Pontos de usuários e moradores de rua se espalham por SG | Foto: Arquivo OSG




 

“Eu sei que eles chegaram ao local no último domingo (13). Eles ficam lá mais no período da madrugada, das 2h até às 6h da manhã, e saem durante o dia, quando fica mais movimentado. A gente não sabe mais o que fazer, é uma insegurança constante. Eles já invadiram casas da região, já pularam muros, estouraram canos. Na frente do meu portão já colocaram até um colchonete para dormir por ali mesmo. Eu vejo isso pelas câmeras de segurança da minha casa. Tem algumas pessoas até ‘bem vestidas’ que encontram esses usuários lá e ficam usando drogas, é muito ruim! Não sabemos o que podem fazer com a gente”, contou ela.  

 



Rua Zeferino Reis



Rua Zeferino Reis | Foto: Filipe Aguiar




 

A situação ainda piora quando os moradores pedem ajuda e não conseguem auxílio dos órgãos públicos. “Ligamos para a Polícia Militar e eles falam que é com a Prefeitura de São Gonçalo, já a Prefeitura diz que é com a Polícia e ficamos nessa situação, com medo”, afirmou.             

Na matéria anterior, o OSG demarcou, pelo menos, sete pontos de ‘cracolândia’ no município. Procurada, a Prefeitura informou que realizava ações para retirar essas pessoas das ruas e auxiliá-las com novos recursos para se livrar do vício. “A Prefeitura de São Gonçalo, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social, informa que realiza periodicamente o serviço de abordagem pelas ruas do município e ações com a proposta de orientar e acompanhar as pessoas que estão em situação de rua, para encaminhar para equipamentos específicos.  

As abordagens são realizadas em parceria com o Centro Pop e o Consultório na Rua, nas cenas de uso, conhecidas popularmente como “Cracolândias”. Através dessa abordagem, a secretaria traça estratégias de enfrentamento à formação dessas “cracolândias”.         

Já a Assessoria de Imprensa da Secretaria de Estado de Polícia Militar informou que “o comando do 7ºBPM (São Gonçalo) realiza o policiamento ostensivo dinâmico com viaturas, motocicleta e pé diuturnamente na área de circunscrição do batalhão. As equipes atuam na região realizando abordagens frequentemente, assim como prisões e apreensões. Ações pontuais também são realizadas rotineiramente com o objetivo de reprimir criminosos. 

Ressaltamos que a Polícia Militar segue à disposição dos órgãos municipais e estaduais para apoiar nas ações que se façam necessárias.” 

A Prefeitura Municipal de São Gonçalo esclareceu que “relatos sobre invasões de residências devem ser encaminhados para a Polícia Militar. 

A Secretaria de Assistência Social realiza semanalmente, com o Centro Pop e o Consultório na Rua, o serviço de abordagem pelas ruas do município. Durante a ação, os profissionais orientam e acompanham as pessoas que estão em situação de rua para abrigos. No entanto, algumas pessoas não concordam com o encaminhamento.   

Através dessas abordagens, a pasta traça estratégias de enfrentamento à formação dessas cenas de uso, conhecidas popularmente como “cracolândias”.” 

 

[ad_2]

Fonte: O São Gonçalo