‘Atirou no peito para matar’ diz viúva do vendedor morto em frente as barcas em Niterói

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

[ad_1]

Thais Oliveira Santos, viúva do vendedor de balas Iago
Macedo dos Santos, de 21 anos, morto da tarde desta segunda-feira (14), disse
durante sua saída da Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG), que
o polícia responsável por efetuar o tiro, o PM Carlos Arnaud Baldez Silva
Júnior, teve a intenção de matar ao atirar em Iago.

Com uma caixa de doce e os documentos do marido em mãos, Thais
estava muito abalada com tudo que ocorreu, disse que seu mundo estava desmoronando.
Ele não cometeu crime nenhum, não sabia que oferecer bala era crime”,
disse.

Iago saiu de casa na madrugada desta segunda-feira para
vender produtos como de costume no calçadão do terminal de balsas de Niterói.
No entanto, ele entrou em uma briga com um pedestre e a polícia também se
envolveu na briga. Uma briga começou e o agente que estava de folga atirou nele
o matando. O filho adolescente de Thais, presente no momento, contou que o PM
atirou à queima-roupa no peito do vendedor.

“Em momento nenhum ele agrediu o homem, ele [o
policial] simplesmente bateu no peito dele e atirou para matar, deu um tiro no
peito. A minha filha vai fazer dois anos sem o pai e minha vida está
desmoronando”, disse a viúva.

Thais ainda conta que enquanto foi buscar os pertences do
companheiro, o autor do disparo andava livremente pela DHNSG. Ela teme que talvez
o caso termine sem uma punição adequada para o PM.

[ad_2]

Fonte: O São Gonçalo