Itaocara, 1º ano de governo: prefeito Geyves Maia Vieira fala em entrevista do que já foi feito e próximas ações | Norte Fluminense

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

[ad_1]

O g1 deu início, no dia 17 de janeiro, a uma série de entrevistas com os prefeitos e prefeitas dos municípios da área de cobertura do g1 Região Serrana, Norte Fluminense e Região dos Lagos. As perguntas foram enviadas aos gestores de 50 cidades, inclusive as que fazem parte da Baixada Litorânea, Noroeste Fluminense e Região Metropolitana.

Cada prefeito responde a dez perguntas sobre metas alcançadas no primeiro ano de governo após as Eleições de 2020, projetos e serviços públicos implementados em diversas áreas que impactam a vida da população, além de ações que ainda precisam ser desenvolvidas nos próximos três anos.

As entrevistas estão sendo publicadas ao longo do mês de janeiro. O objetivo do espaço é contribuir para que os moradores acompanhem o trabalho que vem sendo desenvolvido em suas respectivas cidades.

O g1 Norte Fluminense, que também cobre as cidades do Noroeste Fluminense, publica, nesta segunda-feira (31), a entrevista com o prefeito de Itaocara, Geyves Maia Vieira (Cidadania). Em novembro de 2020, ele foi escolhido por 5.374 eleitores, sendo eleito com 36,23% dos votos.

Confira a entrevista abaixo:

1 – De uma forma geral, em termos percentuais, dentro do que estava estabelecido como meta do primeiro ano de governo, o quanto foi cumprido (em termos percentuais), e quais áreas foram priorizadas? Houve mudanças ou remanejamento em relação às prioridades previstas no Plano de Governo? Se sim, pode explicar quais foram as principais alterações, os motivos e como fica daqui pra frente?

Para o primeiro ano do mandato, e de uma nova gestão no município de Itaocara, conseguimos implementar 50% do estabelecido para 2021. Pois, administração pública é muito dinâmica e surgem fatos novos que nos fazem mudar os rumos.

A saúde demanda maior parte das ações, pela dificuldade da pandemia e consequentemente a econômica e leva mais pessoas a dependerem da rede pública. Tivemos que paralisar algumas ações, para empreendermos todo esforço na montagem do centro de covid, que trouxe mais conforto e segurança para os munícipes.

Esperamos que a covid se normalize para seguirmos com as agendas governamentais em todas as áreas, tendo em vista que com a incidência de contaminação por covid, altera todo o fluxo, com pessoas afastadas, tanto no público quanto no privado, gerando dificuldades operacionais. Pretendemos atacar na questão da infraestrutura e na captação de recursos para sanarmos algumas demandas como encostas, pontes, ruas, etc.

2 – Especifique, pontualmente, quais foram os principais projetos implementados e/ou melhorias realizadas na área da Saúde neste primeiro ano de governo, como, por exemplo, visando maior conforto e celeridade na marcação de consultas e exames para a população, entre outras soluções buscando a qualidade no atendimento na Atenção Básica, urgência, internações, etc?

A montagem do centro de covid, a aquisição de um gerador novo para o hospital de Itaocara com o dobro da capacidade e totalmente automatizado, fim da fila da madrugada para marcar exames e consultas, informatização das Unidades Básicas de Saúde, criação da Central de Regulação, para exames de média e alta complexidade, além de linkar de forma sistêmica as demandas dos postos de saúde, diretamente para a central de marcação de exames.

A burocratização que existia do processo de marcação de exames, a partir desta inovação, o paciente atendido na Atenção Primária, se necessário e solicitado pelo médico, pode sair já da unidade de acolhimento, com o agendamento dos seus exames. Esta decisão trouxe a realidade do esvaziamento das filas, nos serviços de média complexidade e cerca de 35% de eliminação na fila da alta complexidade. Ampliamos o campo de atuação financeira, atingindo seu maior valor de financiamento hospitalar, com reflexos das atividades de produções internas.

Capacitação e qualificação técnica das equipes, reajuste de fluxos, valorização profissional, contribuíram para os avanços alcançados.

3 – Quanto à saúde financeira da cidade, que iniciativas da atual gestão podem ser destacadas? O município tinha ou tem dívida? De quanto? E foi possível saná-la ou reduzi-la com que tipo de ação, caso a cidade se encaixe nesse quadro?

Manter as finanças sob controle, para aplicar os recursos onde são necessários, evitando desperdício. Conter gastos públicos não essenciais, como diárias, lanches e alguns contratos por exemplo nesse primeiro ano. Nosso orçamento foi equilibrado para atender todas as secretarias, no entanto, com o período pandêmico, nossos gastos com saúde foram priorizados. Do limite de 15% do orçamento, aplicamos 30%. Outro fator importante, foi de só ter contratado o que podíamos pagar. Nenhum servidor ou fornecedor teve seus pagamentos atrasados.

A falta de uma transição adequada, nos causou um grande impacto. O Fundo de Previdência Municipal, segundo estimativas do calculo atuarial, possui um déficit aproximado de R$ 220 milhões. O fundo não possui nenhum tipo de reserva, tivemos que fazer o complemento mensal em torno de 450 mil todo mês para permitir que nossos aposentados recebessem os salários em dia. As dívidas com o Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro relativas aos Precatórios, fomos surpreendidos com bloqueio logo no mês de janeiro diretamente da conta de recebimento do ICMS do Estado. Era uma dívida de R$ 15 milhões. Com trabalho de apuração real dos valores e quitação de dívidas, o saldo de precatórios para o ano de 2022 será em torno de R$ 200 mil.

Outro passivo muito grande, que estamos trabalhando na solução, são débitos com a Receita Federal do Brasil, que em sua maioria são débitos de origem de não recolhimento do INSS, onde entre débitos parcelados e não parcelados, o montante supera os R$ 10 milhões. Estamos trabalhando com priorização nos gastos e desenvolvendo mecanismos de arrecadação eficiente, buscando não aumentar a alíquota tributária da população.

4 – Neste primeiro ano, o município chegou a investir em tecnologia para melhorar o serviço em algumas áreas? Caso sim, pode especificar? Se não, pretende fazer esse tipo de investimento? Onde e qual a previsão?

Temos legislação para o 5G, sendo um dos primeiros municípios do Estado do Rio de Janeiro com legislação própria. Iniciamos o projeto prefeitura sem papel, que trará celeridade e economia. Talvez, seremos no Estado do Rio de Janeiro o primeiro município a ter todos os processos de forma eletrônica em sua totalidade. Iniciamos a troca de computadores na prefeitura, estamos investindo em servidores modernos e de última geração para o novo formato do município.

Essa modernidade gera economia do meio ambiente, melhora o ambiente institucional, colabora para a transparência das informações, pois os processos ficarão disponíveis para o cidadão. Informatização das unidades de saúde da Atenção Primária, foi um processo inovador, trazendo ao município a possibilidade de resolução próximo a residência dos munícipes.

5 – A área da Educação passou por um grande desafio com a suspensão das aulas presenciais por conta da pandemia. De que forma a Prefeitura conduziu o ensino e monitorou processos de evasão escolar em 2021? Se houve evasão, existe uma estimativa de quantos alunos abandonaram os estudos no ano passado e o que vai ser feito a partir de agora para mudar esse cenário?

Quando do Ensino 100% remoto, trabalhamos com atividades padronizadas em toda rede municipal e também vídeos explicativos. Essas atividades eram retiradas pelos pais ou responsáveis e devolvida pelos mesmos. Através da retirada das atividades eram identificados os alunos que não retiravam ou não devolviam e dessa forma era feito todo tipo possível de contato para resgatar esse aluno, evitando a evasão. Para 2022, é desenvolver ações com planejamento que auxilie na melhor entrega dos conteúdos novos, reforçando os conteúdos que foram dados de forma remota.

6 – Em relação à valorização dos servidores públicos municipais, há ações implementadas ou a serem implementadas nessa área?

Aquisição de equipamentos, EPI´s, treinamentos, aumento de 8,5%, já implementados, e vale alimentação a ser ofertado no curso desse ano.

7 – Que balanço o município pode fazer quanto às iniciativas nas áreas de Cultura, Meio Ambiente, Transporte Público (mobilidade) e Turismo?

Concretização da lei Audir Blanc, criação das duas primeiras Unidades de Conservação do Município de Itaocara, recuperação de quase toda nossa orla, com a reforma das praças e monumentos, na sede e nos distritos, atraindo os munícipes e visitantes, fomentando a economia. Estamos em processo de licitação do nosso transporte público para atender a população.

8 – Há projetos implementados não contemplados nas respostas anteriores que o prefeito (a) gostaria de mencionar?

A criação dos estágios remunerados pela prefeitura com parceria com CIEE, para alunos do Ensino Médio e Terceiro Grau.

9 – É possível dizer até cinco principais metas que a Prefeitura pretende alcançar neste o ano de 2022?

Recuperação de todas as Unidades Básicas de Saúde, reforma de todas as quadras existentes, construção do novo hospital, recuperação de todas as escolas do município e construção do novo cemitério.

10 – E existe uma grande causa no município, que, até o final do mandato, a Prefeitura pretende resolver ou, dependendo da complexidade, criar mecanismos que facilitem a resolução? Ou seja, existe um grande desafio ou um “calo no sapato”, de hoje ou que vem se arrastando há muito tempo no município e que não pode mais ser ignorado?

Ordenamento urbano. Pretendemos com o Plano Diretor já iniciado, resolvermos os problemas oriundos de legislação ultrapassada, ou falta de regramento, para que o município possa se desenvolver com regras e limites no seu ordenamento urbano, que consiga equacionar desenvolvimento e preservação ambiental.

[ad_2]

Fonte: G1