Al Ahly supera desfalques, vence Monterrey e enfrenta o Palmeiras na semi do Mundial de Clubes

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

[ad_1]

Mesmo sem poder contar com seis jogadores titulares e outros quatro reservas, que estão servindo a seleção do Egito na Copa Africana de Nações, a equipe egípcia conseguiu a classificação

EFE/EPA/ALI HAIDERO Al Ahly venceu o Monterrey por 1 a 0 nas quartas de final do Mundial de Clubes

O Al Ahly surpreendeu ao vencer o Monterrey (México) por 1 a 0, neste sábado, 5, no estádio Al Nahyan, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes, pelas quartas de final do Mundial de Clubes. Mesmo sem poder contar com seis jogadores titulares e outros quatro reservas, que estão servindo a seleção do Egito na Copa Africana de Nações, a equipe egípcia conseguiu a classificação para a semifinal, graças ao gol marcado por Mohamed Hany, aos 8 minutos no segundo tempo. Com o resultado, os Vermelhos tentarão ir para a final da competição da Fifa pela primeira vez de sua história. Para isso, a equipe africana precisará desbancar o Palmeiras, na próxima terça-feira, 8, às 13h30 (de Brasília).

Extremamente desfalcado, o Al Ahly viu o Monterrey pressionar no começo do jogo, utilizando-se bastante do lado direito, com o meia-atacante Maximilano Meza sendo acionado. Por ali, os Rayados criaram algumas chances, sendo a principal desperdiçada pelo centroavante Funes Mori. O conjunto egípcio, no entanto, não ficou acuado e incomodou bastante com alguns contragolpes. O resultado, porém, só foi movimentado na segunda etapa, quando Maâloul desceu em contra-ataque pela esquerda e cruzou para o desvio do arqueiro Andrada. No rebote, Hany colocou para as redes, tirando o zero do placar. Apesar de ter mais posse de bola, o Monterrey não conseguiu penetrar no sistema defensivo do time egípcio, que ainda teve outras chances de ampliar. Assim, o Al Ahly volta a encarar o Palmeiras – na disputa pelo terceiro lugar do Mundial de 2020, disputado no ano passado, os africanos levaram a melhor nas penalidades, depois de um 0 a 0, que persistiu na prorrogação.

 



[ad_2]

Fonte: Jovem Pan