Cachorra Pandora: cadela achada em aeroporto após ficar 45 dias perdida foi reconhecida em vídeo; ‘está desnutrida e debilitada e eu também’, diz dono | Pernambuco

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

[ad_1]

“Ela está muito magra. Está desnutrida, debilitada, e eu também estou que nem ela. Não tenho nem o que falar, o importante é que achamos”. A declaração foi feita pelo pernambucano Reinaldo Junior, momentos depois de abraçar a cachorra Pandora, encontrada 45 dias depois de se perder no Aeroporto de Guarulhos, na Grande São Paulo. A mãe de Reinaldo reconheceu o animal em uma mensagem de vídeo (veja vídeo acima).

A cachorrinha vira-lata viajava entre os aeroportos do Recife e de Navegantes, em Santa Catarina, no compartimento de carga de um avião da Gol, em dezembro de 2021. Ela perdeu durante uma conexão. Desde então, o dono dela mobilizou milhares de pessoas numa campanha para encontrar Pandora.

O reencontro aconteceu na tarde deste domingo (30), depois que um funcionário do aeroporto encontrou a cachorrinha e ligou para a mãe de Reinaldo. A “avó” de Pandora, Terezinha Bezerra, reconheceu a cadela em vídeos enviados pelo homem que encontrou e foi buscá-la.

Imagens do reencontro foram publicadas nas redes sociais. Os vídeos mostram o momento em que Terezinha reconhece Pandora e se joga no chão, chorando, agradecendo a Deus por ter encontrado a cachorra. As imagens também registraram o primeiro abraço dela com a cachorrinha.

Segundo Reinaldo, Pandora se perdeu no Terminal 2 do aeroporto e foi encontrada no Terminal 3. No momento em que ela foi achada, o dono dormia, porque diariamente, das 5h às 22h, ele saía em busca da cachorra e entregava panfletos por toda Guarulhos.

“Meu sono está todo desregulado. Ele ligou para minha mãe por volta das 9h30. Agora, estou levando ela para o médico, porque ela está muito debilitada. Não desisti e estou muito feliz porque encontrei minha filha”, afirmou Reinaldo Júnior.

Reencontro da cachorra pandora com o dono neste domingo (30), em São Paulo. — Foto: Reprodução

Quando Pandora se perdeu, Reinaldo estava viajando para Santa Catarina, onde passaria algum tempo antes de embarcar pra a Suíça. No país europeu, ele tinha uma promessa de emprego, que, segundo ele, não existe mais.

“Eu perdi tudo. Perdi minha cachorra, meu emprego, minha viagem e 16 quilos nessa busca por Pandora. Ela ficou debilitada de um lado e eu do outro. Mas o importante é que ela está de volta comigo”, declarou Reinaldo.

Empresa responsável pelo transporte de Reinaldo e de Pandora, a Gol disse que a cachorra destruiu a caixa em que estava, que era adequada para o transporte de animais do porte dela. Segundo Reinaldo, no entanto, não há sinais de defeito no compartimento.

‘Não me ajudaram em nada’, diz tutor da cachorra Pandora, desaparecida em Guarulhos

Imagens de câmeras de segurança do aeroporto registraram o momento em que Pandora caminha sozinha pelo terminal, antes de desaparecer (veja vídeo acima).

“Minha conversa com a Gol, agora, é via advogados. Quando eu estava procurando Pandora eles só me ignoravam. Ali era o momento para conversa. Agora, não”, disse Reinaldo.

O advogado Leandro Petraglia, um dos representantes dos tutores de Pandora, disse que a companhia aérea não deu apoio nas buscas, bem como a concessionária que administra o Aeroporto Internacional de Guarulhos.

“Não podíamos entrar no aeroporto para fazer as buscas. No dia 3, a Gol, que estava custeando a estadia deles enquanto durassem as buscas, expulsou Reinaldo e Terezinha do hotel. No dia 6 de janeiro, conseguimos na Justiça a permissão para adentrar e o direito de permanecer por mais um mês no hotel”, afirmou o advogado.

Leandro Petraglia disse, ainda, que pretende ingressar na Justiça com uma ação de reparação de danos morais e materiais, devido ao impacto emocional e financeiro da busca por Pandora, bem como pelo estado em que a cachorra foi encontrada.

“A Gol dizia que estava ajudando, com esforços, mas em nenhum momento vimos nada específico para as buscas. Reinaldo e Terezinha é que saíam todos os dias para procurar e panfletar”, declarou.

O g1 entrou em contato com a Gol para saber o posicionamento da empresa aérea, mas não obteve o retorno até a última atualização desta reportagem.

VÍDEOS: mais assistidos de Pernambuco nos últimos 7 dias

[ad_2]

Fonte: Pop & Arte