Honda inicia programa de demissões voluntárias de colaboradores de Sumaré durante reestruturação na pandemia | Campinas e Região

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

[ad_1]

A montadora de veículos Honda está reestruturando suas atividades e iniciou um programa de demissões voluntárias (PDV) para colaboradores de Sumaré (SP) que estão entre as equipes em transferência para a planta de Itirapina (SP), distante cerca de 100 km da região de Campinas (SP). O plano começou nesta quarta-feira (13) e deve ser concluído em 29 de outubro; confira os detalhes abaixo.

Nesta quinta (14), a multinacional de origem japonesa confirmou ao g1 que a mudança da estrutura para Itirapina envolve somente a produção de automóveis. A conclusão da transferência está prevista para dezembro deste ano e cerca de 1 mil colaboradores já efetivaram essa transição.

Segundo a companhia, o PDV reflete os impactos da pandemia da Covid-19 em toda a cadeia da indústria automotiva. No início deste ano, a Honda foi a 8ª montadora no Brasil a paralisar a produção.

“A última etapa do plano de transferência ocorre em um novo cenário, em que a indústria automotiva vem sendo impactada pela pandemia de covid-19. A desvalorização do real, a inflação de matérias-primas e a crise no abastecimento de componentes reduziram os volumes de produção nos anos de 2020 e 2021, criando ociosidade em toda a indústria, e o cenário futuro ainda apresenta incertezas”, explicou em nota.

Agora, planeja aumentar a competitividade e a sustentabilidade das suas operações a longo prazo, e informou que realiza o plano de demissões por conta de dificuldades enfrentadas por alguns funcionários envolvidos com a mudança de cidade.

“Estamos concluindo a transferência da produção de Sumaré para Itirapina e existem colaboradores que estão enfrentando dificuldades para a transferência ou não se adaptaram à região de Itirapina e desejam retornar à região de origem”, informou.

A adesão do colaborador ao plano precisa ser autorizada pela empresa. São elegíveis nesse processo os trabalhadores também da área produtiva de Itirapina. Não foi estipulada uma meta de adesão. Entenda como o PDV funciona:

  • O PDV garante o pagamento das verbas rescisórias legais: liberação para o saque do saldo do FGTS, multa de 40% do FGTS para fins rescisórios, aviso prévio indenizado, 13° salário proporcional, dias trabalhados do mês corrente e férias vencidas e/ou proporcionais.
  • Inclui 12 salários nominais, sendo nove salários nominais fixos, mais três salários nominais mediante ao atendimento do cumprimento dos critérios de segurança, qualidade e produção.
  • Pagamento do valor referente a 12 meses de plano de saúde para o titular e atuais dependentes.
  • Garantia do cartão vale-alimentação no valor de R$ 250 ao mês por seis meses.
  • Três meses de orientação profissional assistida.

Fábrica da Honda Itirapina (SP) — Foto: Gabrielle Chagas/G1

Como fica a planta de Sumaré

A planta de Sumaré não será extinta. Segundo a Honda, seguirá com produção do conjunto motor, incluindo fundição e usinagem, injeção plástica, ferramentaria, engenharia de qualidade, planejamento industrial, P&D, áreas administrativas da Honda South America, Centro de Treinamento Técnico e Divisão de Peças.

Atualmente, 2 mil colaboradores atuam na unidade da fábrica em Sumaré.

A multinacional japonesa está no Brasil há 50 anos, sendo 24 deles atuantes na fabricação de automóveis.

“A empresa reforça que as mudanças fazem parte de sua constante evolução, com o objetivo de entregar produtos e serviços da mais alta qualidade para seus clientes e garantir a sustentabilidade de seus negócios”, informou em nota.

Linha de produção da Honda, em Sumaré, SP — Foto: Caio Mattos/Divulgação Honda

VÍDEOS: veja o que é destaque na região de Campinas

[ad_2]

Fonte: G1