Criptomoedas vão cair mais e desaparecer, diz economista

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

[ad_1]

O espanhol Angel Banchs, mestre em Economia e Finanças, afirmou na sexta-feira (21) em suas redes sociais que o preço do bitcoin e demais criptomoedas vão cair muito no curto prazo. Além disso, afirmou também que no médio prazo as criptomoedas vão desaparecer.

“Quero deixar claro meu prognóstico. Não só sustenho que no curto prazo o Bitcoin e as criptos vão cair, coisa que já está começando a ocorrer, mas também que no médio prazo vão desaparecer”.

Angel Banchs atua como professor particular, antigamente dava aula em universidades, ainda assim, hoje ele possui seu próprio blog de finanças onde reproduz aulas online.  No entanto, entre as aulas que ele oferece, há ensinamentos sobre bitcoin.

Bitcoin pode chegar a zero

O professor tem um blog onde dá cursos relacionados a economia e política, entre as aulas que oferece, alguns são relacionados ao bitcoin. Segundo ele, o bitcoin pode chegar a zero, mas o mesmo nunca acontecerá com o dinheiro fiduciário. Ou seja, de acordo com ele, se a demanda do bitcoin cair para zero, o preço vai junto.

Dessa forma, ele afirma que o Estado é importante e que o dinheiro fiduciário (moeda corrente) só pode ser controlado pelo governo para preservar seu valor e mantê-lo seguro de fraudes ou crimes.

Em outras aulas, ele defende que o bitcoin não é um ativo de “hedge”, ou seja, que o ativo digital que não serve como proteção contra inflação devido a sua volatilidade.

Bitcoin como ouro digital

Bitcoin é uma moeda digital pública, livre, transparente e com oferta limitada que está à disposição de qualquer pessoa em todo o mundo, e não há imposição para seu uso.

Apesar da sua volatilidade, o bitcoin se provou no tempo e foi valorizando-se com ele. Atualmente já não é visto como reserva de valor só por pessoas comuns, mas também por empresas e governos.

Por fim, o bitcoin ainda é pouco utilizado como moeda ou reserva de valor em comparação com a moeda corrente. Porém, aqueles que entendem os fundamentos do ativo digital sabem que precisam mais dele por liberdade.



[ad_2]

Fonte: R7