Técnica de enfermagem que estava desaparecida é encontrada morta na RMC; família tem suspeitos

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

[ad_1]

Letícia Stefani Inácio, de 24 anos, foi encontrada morta na tarde deste domingo (3), no condomínio em que morava com a família em Pinhais, na Região Metropolitana (RMC). A jovem estava desaparecida após encontros com amigos em Curitiba, há dois dias. Familiares da vítima disseram à Banda B que possuem dois suspeitos pelo crime.

Letícia Stefani Inácio. Foto: Reprodução/Redes Sociais/Montagem

Conforme apurado pela reportagem, Letícia foi achada embaixo de uma escada no andar térreo do residencial localizado na rua Rio São Luiz, no bairro Weissópolis. O vizinho explicou que encontrou o corpo de bruços, após sair de casa e ver sangue nos degraus do prédio.

“Eu estava com meus cunhados. Então, vimos o sangue e resolvemos olhar melhor porque já estávamos sabendo da situação. Foi quando a gente viu o corpo embaixo da escada. A gente a reconheceu porque a conhecíamos”, explicou o homem que não quis ser identificado. “Dá a impressão de que ela foi arrastada. Também há sangue no corrimão e acredito que foi ‘passado pano’ para esconder algo”, analisou o morador.

Desaparecimento

À Banda B, a mãe, Jozaine Inácio, explicou que a jovem foi se encontrar com amigas em um bar na noite de sexta-feira (1º). Em seguida, após este primeiro encontro, ela foi à casa de um amigo no bairro Cajuru, na capital.

“Das 3 às 6 horas ela ficou nessa casa. Às 6h30, ela pegou o carro de aplicativo e voltou até o nosso endereço”, disse a mãe se referindo à casa da família. “Esse processo não deu nem 10 minutos, foram oito minutos, no caso. É perto de casa. Daí, a gente entrou no aplicativo e estava escrito que a corrida estava concluída”, continuou.

O local onde foi encontrado o corpo da vítima. Foto: Djalma Malaquias/Banda B

Porém, mesmo com a finalização da corrida, a mãe conta que Letícia não entrou no imóvel. A família foi sentir falta da menina já na manhã do dia seguinte. “Eu não consegui mais falar com ela. Tentei ligar e só dava na caixa postal”, completou Jozaine.

A família chegou a realizar um Boletim de Ocorrência (BO) sobre o desaparecimento, antes da notícia da morte da garota. Sem estar junto da filha, Jozaine disse ainda à Banda B, aos prantos, que não entende o porquê da situação pois, de acordo com ela, a filha não era alguém irresponsável.

“A gente tinha um casamento para ir no sábado. Tínhamos roupas alugadas, horário para ir no salão. Não tem como falar que ela sumiu porque quis, entendeu. Ela era uma menina muito responsável, ela sempre avisava onde estava, onde que iria. Ela não nunca foi de sumir, entende. Não imaginávamos que ela estivesse aqui, ninguém viu nada”, finalizou aos prantos.

Suspeita

Ricardo Alexandre Raimundo, parente de Letícia, suspeita de dois ex-namorados que podem estar ligados ao crime. Segundo o familiar, ambos já haviam ameaçado Letícia de morte.

“É um dos dois que fez essa sacanagem com ela. Não tem câmera, é uma vergonha. Queremos justiça, só isso. Ela desceu da corrida e, provavelmente, o cara já estava a esperando porque já a conhecia. Eu acho até que a pessoa [responsável pela morte] não agiu sozinha. Eles não aceitavam a separação”, alegou.

Letícia era técnica de enfermagem e estava no último ano da faculdade. A jovem trabalhava no Hospital Cajuru. O corpo de Letícia será recolhido pelo Instituto Médico Legal (IML). A Polícia Civil irá investigar o caso.

Vídeo

O repórter Djalma Malaquias esteve no local e acompanhou o trabalho da polícia. Veja abaixo:



[ad_2]

Fonte: Banda B