Presos suspeitos de execução na CIC

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

[ad_1]

Dois homens suspeitos de serem os autores da execução de um rapaz na Cidade Industrial de Curitiba (CIC), no dia 8 de novembro deste ano, foram presos temporariamente na manhã desta segunda-feira (5).

Presos suspeitos de execução na CIC; vítima morreu injustamente por vingança, diz polícia
Bruno foi morto na Rua Cid Campêlo, na CIC.
Foto: Eliandro Santana.

O homicídio foi motivado por vingança, relacionada ao assassinato de Bárbara de Souza Barte, de 24 anos. O caso aconteceu em 12 de setembro deste ano, no mesmo bairro, de acordo com investigações da polícia civil. Este crime, porém, já teve inquérito concluído e acusado preso.

Os presos nesta segunda-feira pela execução na CIC são ex-marido e irmão de Bárbara e suspeitos de terem disparado os tiros que mataram Bruno do Prado de Almeida, de 29 anos, quando ele retornava do trabalho, na Rua Cid Campêlo. Um terceiro homem está com mandado de prisão temporária em aberto.

A dupla desconfiou do envolvimento de Bruno no crime, alegando que ele poderia ter emprestado a faca para que o suspeito matasse Bárbara, de acordo com o delegado Thiago Nóbrega, da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Com base em achismo, eles passaram a perseguir Bruno, achando que ele tinha alguma participação na morte da Bárbara, e armaram uma emboscada, revela o delegado.

“Eles chamaram Bruno até o endereço, na Cid Campêlo, dizendo que não tinham mais nenhuma rivalidade, que estava tudo apaziguado, que não iriam matá-lo, que sabiam que eram só boatos e que ele não teria envolvimento na morte da Bárbara”

relata Nogueira.

Bruno acreditou na dupla e que não haveria nenhum tipo de vingança, conforme Nogueira, e foi até os atiradores. “Porém, acabou caindo nessa emboscada que foi armada.”

O delegado informou que quando Bruno foi morto, o crime contra Bárbara já havia sido esclarecido, com autor preso. Mas, mesmo assim, os envolvidos ainda suspeitavam do envolvimento de Bruno.

“Não temos nenhuma prova, inculsive o inquérito da morte da Bárbara ficou bem amarrado, seja com provas materiais, seja com laudos técnicos, como também as provas testemunhais do envolvido no homicídio, que inclusive foi preso em flagrante. Eles ouviram dizer que a faca do crime teria sido emprestada pelo Bruno e resolveram matar o Bruno.”

De acordo com o delegado, Bruno colaborou a todo momento com as investigações da polícia. “Inclusive ele recebeu vários áudios com ameaças de morte por parte desses suspeitos. Nesses áudios ele refuta as acusações. Amigos e parentes [de Bárbara] também refutaram o possível envolvimento dele na morte de Bárbara.”

O pano de fundo dos casos seria o envolvimento de todos com o tráfico de drogas.

Moto de vítima foi roubada após execução na CIC

Ao lado do corpo de Bruno ficou a moto da vítima, que acabou levada da cena do crime. (Assista ao vídeo no final).

A polícia suspeita de algum amigo ou parente de Bárbara.

“O indivíduo acabou se aproveitando de um crime, comentendo outro crime”, diz o delegado da DHPP.

A moto de Bruno está com alerta de roubo. Se o ladrão for encontrado, responderá por receptação, conforme informou Nogueira.

Vídeo

[ad_2]

Fonte: Banda B