Homem acusado de matar universitário em 2020 é preso na Ilha do Governador

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

[ad_1]

Policiais da 32ª DP (Taquara) prenderam, nesta sexta-feira, José Ricardo dos Santos Pontes Júnior, o Russão da Ilha. O criminosos é acusado de matar, em outubro de 2020, o estudante Marcos Winícius Tomé Coelho de Lima, de 20 anos. Russão foi preso na comunidade do Boggie Woggie, na Ilha do Governador, Zona Norte, após agentes receberem informações do setor de inteligência.

Acusado de matar Marcos Winícius, Russão foi preso na comunidade do Boggie Woggie
Acusado de matar Marcos Winícius, Russão foi preso na comunidade do Boggie Woggie Foto: Divulgação / Polícia Ciivil

Marcos cursava Farmácia na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Ele andava de bicicleta pela Urca, na Zona Sul do Rio, bairro onde morava, quando foi sequestrado. O corpo foi encontrado com marcas de tiros dias depois no município de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.

Marcos foi raptado na Urca, Zona Sul do Rio, após sair de um shopping no dia 8 de outubro de 2020. A ação foi filmada por câmeras de segurança. As imagens mostram o rapaz pedalando, quando um carro branco surge na contramão e atinge a bicicleta elétrica da vítima.

Russão da Ilha era procurado pela morte de Marcos Winícius
Russão da Ilha era procurado pela morte de Marcos Winícius Foto: Divulgação / Polícia Civil

Segundo a polícia, o assassinato foi motivado pelo roubo de uma carga de drogas do qual a vítima teria participado dias antes. Marcos Winícius participou com um amigo da simulação feita por uma quadrilha de uma negociação de carga de skank avaliada em R$ 80 mil, cuja intenção era seu roubo.

Em seguida, um amigo do estudante e outras três pessoas do bando, incluindo um policial militar, encontraram com os traficantes em Copacabana e roubaram a carga da droga. Por fim, foram para um hotel comemorar, onde Marcos Winícius já estava, embora, segundo os investigadores, não tenha participado do roubo.

A quadrilha, com ajuda de policiais militares, simulava a compra de uma carga grande de drogas sobretudo maconha de alta qualidade como skank e haxixe, quando efetuavam o roubo da carga no momento do encontro. Também agiam fazendo o inverso, realizando a venda de uma carga de drogas que sequer existia e roubavam o dinheiro do comprador no ato da entrega, simulando flagrante por parte dos policiais militares envolvidos.

No dia do crime, Marcos Winícius saiu do Shopping Rio Sul em sua bicicleta elétrica e foi abordado na entrada da Urca, quando um carro branco bateu contra a bicicleta para jogá-lo no chão, descendo dois ocupantes armados, que o renderam e colocaram dentro do carro. Ao mesmo tempo, uma camionete saía da Urca dando cobertura a este veículo. As câmeras mostraram aos policiais, também, que a mesma camionete voltou naquela madrugada e recolheu a bicicleta elétrica da vítima, horas depois.

Em dezembro, um homem acusado de envolvimento no sequestro e morte do estudante foi preso, no Rio Grande do Norte. Segundo agentes da DHBF que colaboraram com as buscas, o preso havia fugido para o nordeste em dezembro de 2020. Com ele, foi encontrada uma carteira de identidade falsificada.

[ad_2]

Fonte: Fonte: Jornal Extra