Temporal provoca alagamentos e estragos na área central de Volta Redonda

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

[ad_1]

Uma árvore caiu sobre um carro e trânsito ficou parado na Avenida Getúlio Vargas; apesar dos transtornos não houve vítimas

Uma árvore atingiu um carro no Bairro São Geraldo – Foto Redes sociais.

Volta Redonda- Um temporal no fim da tarde desta quarta-feira (19) provocou alagamentos em Volta Redonda. Uma árvore caiu sobre um carro no bairro São Geraldo. Não houve feridos.
Imagens gravadas por moradores e divulgadas em redes sociais mostram a Avenida Amaral Peixoto, no Centro, alagada na saída do Viaduto Sávio Gama até o entroncamento com a Rua Capitão Benedito Lopes Bragança. Pontos de acúmulo de água também foram registrados no bairro Sessenta – próximo à Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) – e na Avenida Getúlio Vargas, região central. O trânsito chegou a ficar parado devido ao grande volume de água retida na via e o estacionamento de uma academia ficou alagado, cobrindo carros que estavam ali parados.
A força dos ventos também causou estragos. Vidros do Hospital Unimed acabaram se quebrando. Uma árvore caiu sobre um carro no São Geraldo. O veículo estava estacionado na Rua General Andrade Neves. Na Rodovia dos Metalúrgicos, outra árvore caiu perto do Shopping Park Sul, no sentido São Geraldo. O telhado de um hipermercado ficou danificado.
A chuva estava acompanhada de muitos raios e trovoadas. Alguns bairros tiveram a queda de granizo.

Grande volume de chuva concentrado e em poucos minutos

A Defesa Civil de Volta Redonda atendeu 17 ocorrências devido a forte chuva que atingiu a cidade. Segundo o órgão, até às 18h30, havia sido registrado o volume de 46 milímetros (sendo o pico ocorrido por volta das 16h15, com 22 milímetros de chuva), principalmente na altura da Rodovia Tancredo Neves, no bairro São Geraldo. Várias ruas da área central do município ficaram alagadas. A chuva estava acompanhada de rajadas de ventos, que causaram quedas de árvores – maioria dos chamados recebidos pela Defesa Civil.
A Defesa Civil ressaltou que o Poder Público realizou há dois meses uma limpeza em toda a faixa de captação e escoamento das águas pluviais ao longo da Avenida Getúlio Vargas e região central. O coordenador do órgão, Rubens Siqueira, classificou o temporal como “atípico”, visto que em poucos minutos, o volume de chuva ficou concentrado na região do bairro São Geraldo, fazendo com que as águas descessem para a Avenida Amaral Peixoto.
Rubens frisou também que o nível do Rio Paraíba do Sul está a 80 centímetros de sua cota normal, ou seja, isso não significa nem mesmo o cenário de alerta, que acontece a partir de um metro acima do normal.

 

Avenida Getúlio Vargas alagada – Foto: Yuri Saviolo.

 

Vidros do parapeito do hospital Unimed foram quebrados com as chuvas – Foto: Redes sociais.

 

Vídeo de carro sendo arrastado na Amaral Peixoto.

 

fotos das chuvas na Amaral Peixoto – Redes sociais.



[ad_2]

Fonte: Diário do Vale