Macuco, 1º ano de governo: prefeito Bruno Boaretto fala em entrevista do que já foi feito e próximas ações | Região Serrana

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

[ad_1]

As entrevistas estão sendo publicadas ao longo do mês de janeiro. O objetivo do espaço é contribuir para que os moradores acompanhem o trabalho que vem sendo desenvolvido em suas respectivas cidades.

As mesmas perguntas também foram encaminhadas para os prefeitos que assumiram mais recentemente, em função de eleições suplementares, para que os mesmos pudessem responder o que considerassem pertinente dentro do tempo de governo ocupado, mas para que também pudessem falar de presente e futuro.

O g1 Região Serrana, publica, nesta sexta-feira (28), a entrevista com o prefeito de Macuco, Bruno Boaretto (PL). Em novembro de 2020, ele foi escolhido por 4.416 eleitores, sendo reeleito com 100,00% dos votos válidos . Bruno foi o único concorrente ao cargo em Macuco.

1 – De uma forma geral, em termos percentuais, dentro do que estava estabelecido como meta do primeiro ano de governo, o quanto foi cumprido (em termos percentuais), e quais áreas foram priorizadas? Houve mudanças ou remanejamento em relação às prioridades previstas no Plano de Governo? Se sim, pode explicar quais foram as principais alterações, os motivos e como fica daqui pra frente?

Assumimos o mandato em 2017, época em que trabalhamos, juntamente com os servidores, para contornar uma série de dificuldades administrativas. Alcançamos em 2020 a reeleição, concorrendo com Chapa Única, obtendo 100% dos votos e iniciando o segundo mandato em 2021. A bem da verdade, já cumprimos praticamente 100% do que planejamos, sempre pautando nosso trabalho na valorização do ‘ser humano’, priorizando áreas como saúde, educação, assistência social e, principalmente, respeito ao Funcionalismo Público. Diante da pandemia do coronavírus, alguns projetos sofreram alterações, como o adiamento das obras do Hospital de Macuco, que serão retomadas e concluídas em breve.

2 – Especifique, pontualmente, quais foram os principais projetos implementados e/ou melhorias realizadas na área da Saúde neste primeiro ano de governo, como, por exemplo, visando maior conforto e celeridade na marcação de consultas e exames para a população, entre outras soluções buscando a qualidade no atendimento na Atenção Básica, urgência, internações, etc?

Lançamos o Projeto ‘Saúde em Foco’, que projeta um salto gigantesco na qualidade para prevenir e controlar doenças crônicas não transmissíveis e promover buscas ativas e ações preventivas nas áreas de alimentação saudável; tabagismo; uso abusivo de álcool; neoplasia de mama, colo do útero e próstata; saúde bucal; planejamento familiar; doenças cardiovasculares; diabetes mellitus; agravos, acidentes e violência. Visando melhorar a qualidade de vida dos macuquenses, o projeto reduz índices de mortalidade e comorbidades; promove ações de saúde diversificadas; reduz despesas com procedimentos de média e alta complexidade; torna a população replicadora de boas práticas de saúde; capacita profissionais de saúde e educação; e realiza procedimentos exclusivos.

A Gestão Municipal também ampliou as especialidades médicas nas Estratégias de Saúde da Família; vem cumprindo rigorosamente todas as etapas de vacinação contra a COVID-19, com índices que apontam a liderança em termos estaduais; e em breve estaremos, enfim, inaugurando o Hospital de Macuco. Também inauguramos as novas Estratégias de Saúde da Família da Volta do Umbigo e do centro, bem como entregamos totalmente reformado, com estrutura de clínica particular, o Centro de Saúde.

3 – Quanto à saúde financeira da cidade, que iniciativas da atual gestão podem ser destacadas? O município tinha ou tem dívida? De quanto? E foi possível saná-la ou reduzi-la com que tipo de ação, caso a cidade se encaixe nesse quadro?

Podemos destacar o planejamento bem feito, que se reflete no controle de gastos com pessoal, boa liquidez – já que o município mantém em dia as contas a pagar, sendo que o que fica de um exercício para outro o valor correspondente fica em caixa – e investimentos em infraestrutura, que se convertem em qualidade de vida, atração de empresas – pois mesmo durante a pandemia tivemos um crescimento na abertura de empresas no município – entre outras coisas.

Hoje, conseguimos o parcelamento de dívidas com o INSS, herdadas de gestões passadas; mantemos os pagamentos dos precatórios em dia, bem como dos salários dos servidores, que recebem dentro do mês trabalhado; oferecemos Cartão Alimentação a todo o Funcionalismo Municipal.

4 – Neste primeiro ano, o município chegou a investir em tecnologia para melhorar o serviço em algumas áreas? Caso sim, pode especificar? Se não, pretende fazer esse tipo de investimento? Onde e qual a previsão?

Sim. O município investiu em sistema georreferenciado, visando não só a um aumento da arrecadação tributária, mas a um grande auxílio à Gestão Pública nas tomadas de decisões, possibilitando diagnósticos precisos que tornam os processos mais rápidos e menos onerosos. Para o munícipe isso elimina a burocracia e as demandas são atendidas de forma ágil. A ferramenta foi disseminada para outras secretarias como Educação, Desenvolvimento Social, Saúde, Administração e Obras, entre outras, que trabalhando com as informações georreferenciadas têm maior precisão no desenvolvimento de programas e projetos, pois essas informações estão vinculadas e disponíveis, facilitando o trabalho em áreas ou públicos específicos.

Investimos também em ‘Tecnologia em Nuvem’, elevando a qualidade do serviço prestado aos contribuintes, incluindo redução de despesas. Além disso, aumentamos a segurança no armazenamento dos dados, mantemos as equipes integradas, o que redunda em flexibilidade e dinamismo, pois hoje as informações estão mais acessíveis.

5 – A área da Educação passou por um grande desafio com a suspensão das aulas presenciais por conta da pandemia. De que forma a Prefeitura conduziu o ensino e monitorou processos de evasão escolar em 2021? Se houve evasão, existe uma estimativa de quantos alunos abandonaram os estudos no ano passado e o que vai ser feito a partir de agora para mudar esse cenário?

Nossos professores, diretores, pessoal de apoio e equipe da Secretaria de Educação foram e continuam sendo incansáveis e exemplares na manutenção da qualidade educacional, mesmo com as dificuldades oriundas da pandemia. O Planejamento Pedagógico se manteve em alta, com adaptações para o sistema online, a distribuição de apostilas e um acompanhamento periódico diferenciado e eficaz através das nossas redes sociais, tudo contando com receptividade satisfatória de pais e responsáveis, que inclusive se mostraram mais integrados quanto ao aprendizado dos filhos e mais participativos no que tange ao acompanhamento educacional.

Convertemos as verbas que seriam utilizadas na aquisição da merenda escolar em Kits Alimentação, que também foram entregues a todos os estudantes da Rede Municipal de Ensino periodicamente e obedecendo todas as orientações nutricionais, respeitando às diversas faixas etárias e com gêneros alimentícios de ótima qualidade e privilegiando a agricultura familiar. Quanto à evasão escolar, disponibilizamos uma servidora específica, que se dedicou integralmente ao acompanhamento junto às famílias, detectando aproximadamente 40 evasões escolares, que foram devidamente registradas e analisadas individualmente, com cada caso recebendo as orientações cabíveis para que os pais pudessem atuar da melhor forma e evitar que novos casos fossem registrados.

6 – Em relação à valorização dos servidores públicos municipais, há ações implementadas ou a serem implementadas nessa área?

Os servidores são a ‘mola propulsora’ de nossa administração, inclusive repito sempre que nosso maior investimento é no ser humano. Visando valorizar os professores, oferecemos o Auxílio Tecnológico no valor de R$ 2 mil, pago em parcela única; reajustamos os salários do Funcionalismo Público na base, corrigindo uma defasagem que já durava uma década; e para evitar futuras perdas salariais, criamos um artigo que obriga todo gestor a realizar uma correção anual conforme o IPCA-E, aumentando o poder aquisitivo do funcionalismo e evitando que futuramente haja achatamentos; estendemos também aos cargos comissionados o Cartão Cesta-Básica, que dá direito a R$ 176,00 para compras mensais no comércio local; e entregamos Cestas Natalinas a todos os servidores.

7 – Que balanço o município pode fazer quanto às iniciativas nas áreas da Cultura, Meio Ambiente, Transporte público (mobilidade) e Turismo?

Embora tenhamos remanejado, por conta da pandemia, inúmeras atividades do Calendário Oficial de Eventos, conseguimos fomentar a Cultura de forma considerável com ações, ora realizadas de maneira virtual e ora presencialmente, nos cercando dos devidos cuidados. Dentre os destaques da Cultura podemos lembrar 1ª Live Folias de Reis de Macuco; Concurso de Estandartes; Concurso Beleza Negra; Inauguração da Sede do Movimento Negro de Macuco; Concerto de Natal. Quanto ao Transporte Público, estamos mantendo o transporte escolar, universitário e de cursos técnicos para os estudantes macuquenses e concluindo o Plano de Modernização do Trânsito Urbano. No Turismo, homenageamos a maior festa do país com o Carnaval Online, com um vasto, eclético e divertido desfile de fantasias, a presença da Rainha do Carnaval Carioca e a apresentação das escolas locais Beija-Flor e Império do Samba; inauguração da réplica irretocável da locomotiva ‘Maria Fumaça’; restauração e modernização do Cruzeiro do Município; e Ornamentação de Natal, com a criação da Casa do Senhor Noel, atraindo turistas de toda a região

8 – Há projetos implementados não contemplados nas respostas anteriores que o prefeito (a) gostaria de mencionar?

Não há dúvidas de que o nosso maior projeto é concluir as obras e inaugurar o Hospital de Macuco. Estamos trabalhando diuturnamente – atuando com determinação, afinco e muito otimismo, inclusive realizando constantemente viagens a Brasília e ao Rio de Janeiro, visando resolver possíveis entraves – para conquistar esse benefício o quanto antes, até mesmo para poder realizar o sonho de todo povo macuquense, que é receber aqui no município os atendimentos de saúde, desde os mais simples aos mais complexos, incluindo cirurgias, internações e o mais importante, saber que os filhos de Macuco nascerão em nossa terra, no nosso hospital. Já obtivemos o ‘sinal verde do Governo do Estado para reiniciarmos as obras, que já ultrapassaram a marca de 90%, restando apenas a conclusão propriamente dita, já que a maioria absoluta dos equipamentos já estão garantidos com verbas específicas. A inauguração do Hospital de Macuco é questão de honra para nos e vamos ofertar esse presente em breve à nossa população.

9 – É possível dizer até cinco principais metas que a Prefeitura pretende alcançar neste o ano de 2022?

Com a pandemia, todos os desafios que a humanidade viveu e também a partir das transformações que ainda estamos vivenciando, principalmente quando o tema é gestão pública, creio não ser possível estabelecer metas sem que a palavra de ordem seja ‘retomada’. Em todos os sentidos. Já que foi indispensável nos reinventarmos enquanto sociedade, com os setores administrativos da política pública não vai ser diferente. Portanto, a meta é não perder o foco, mobilizar todos os esforços, ideias e criatividades possíveis para que possamos, juntamente com todos os setores da sociedade, promover uma retomada gigantesca no período pós-pandemia.

E eu creio piamente que isso seja capaz. Retomaremos o crescimento econômico, especialmente pelo fortalecimento das indústrias, do comércio, da agricultura e de todos os setores produtivos, cuja mão de obra sempre foi uma mola impulsora da economia, não somente nos grandes centros, mas no interior também. Vamos restabelecer a normalidade da educação e implantar novos conceitos educacionais, fato que já mostramos ser absolutamente possível com a união inconteste entre professores, diretores, pessoal de apoio, estudantes e famílias. Temos que ouvir ativistas, empresários e demais personalidades do segmento turístico para novamente incrementar o turismo, especialmente o rural, que é uma vocação natural de nossa terra e dinamizar as ações geradoras de trabalho e renda. E não podemos nos esquecer de valorizar a área social, que foi indispensável nesse período de crise de saúde, e continuará sendo peça chave na manutenção do respeito e responsabilidade com os direitos humanos. Portanto, a meta é retomar o crescimento!

10 – E existe uma grande causa no município, que, até o final do mandato, a Prefeitura pretende resolver ou, dependendo da complexidade, criar mecanismos que facilitem a resolução? Ou seja, existe um grande desafio ou um “calo no sapato”, de hoje ou que vem se arrastando há muito tempo no município e que não pode mais ser ignorado?

Sem sombra de dúvidas, a grande causa de Macuco, não somente da Gestão Municipal, mas de todo o povo macuquense, é a consolidação do sonho de ver inaugurado o Hospital de Macuco. Recentemente, conseguimos equacionar, junto ao Governo do Estado, algumas pendências que irão nos propiciar a retomada das obras, que foram paralisadas num estágio avançado e agora poderão, muito em breve, ser concluídas para que possamos tirar do papel um planejamento que irá beneficiar toda população e oferecer a ela atendimentos no próprio município, sem ter de se deslocar em busca de uma cirurgia ou do nascimento de um bebê. Estamos muito próximos dessa vitória que será dividida com cada cidadão dessa cidade.

[ad_2]

Fonte: G1