Djokovic ganha batalha na Justiça para permanecer na Austrália

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

[ad_1]

Por Sonali Paul e Ian Ransom

MELBOURNE (Reuters) – O número um do mundo no tênis masculino, Novak Djokovic, foi liberado da detenção de Imigração na Austrália nesta segunda-feira após vencer uma disputa na Justiça para permanecer no país, mas o governo disse que ainda está considerando outra medida para deportá-lo.

O juiz Anthony Kelly concluiu que a decisão do governo federal na semana passada de revogar o visto do tenista sérvio em meio a uma disputa sobre sua dispensa médica para não cumprir as exigências de vacinação contra a Covid-19 não era “razoável” e ordenou sua liberação.

Djokovic, que chegou à Austrália na semana passada para tentar seu vigésimo primeiro título de Grand Slam no Aberto da Austrália, passou o dia nos escritórios de seus advogados e não apareceu em público de imediato ou fez qualquer declaração após a decisão.

Um porta-voz do ministro da Imigração, Alex Hawke, disse que o ministro avalia utilizar seu poder pessoal para revogar novamente o visto de Djokovic.

“O ministro está atualmente considerando a questão e o processo continua correndo”, afirmou o porta-voz.

A batalha de Djokovic tem sido acompanhada de perto em todo mundo, criando tensões diplomáticas entre os governos de Canberra e Belgrado, e provocando um debate acalorado sobre as regras nacionais de vacinação na Austrália.

O presidente do Parlamento sérvio, Ivica Dacic, disse que está preocupado com a possibilidade de Hawke deportar Djokovic, uma medida que impediria a entrada do atleta de 34 anos no país por três anos.

“O processo deveria ter sido encerrado quando a corte decidiu a matéria”, afirmou Dacic, um ex-ministro de Relações Exteriores, ao canal de televisão sérvio Happy TV. “Isso desafia o bom senso.”

Kelly também ordenou que o governo federal pague os custos legais de Djokovic, que passou vários dias detido em um hotel da Imigração, apontando que seus advogados argumentaram que “sua reputação pessoal e profissional e seus interesses econômicos podem ser diretamente afetados”.

As notícias da decisão foram recebidas com comemorações barulhentas, com cerca de 50 apoiadores batendo tambores e dançando, muitos deles enrolados na bandeira sérvia, do lado de fora do tribunal em Melbourne.

“Foi uma noite sem sono para a família”, afirmou o irmão de Djokovic, Djordje Djokovic, ao canal de televisão TV Prva, de Belgrado. “Novak mostrou sua perseverança e sua confiança em si mesmo. Ele mostrou que é um grande homem.”

No entanto, Djordje Djokovic afirmou que sua família ainda está preocupada com a possibilidade de seu irmão ser detido e deportado da Austrália.

O tenista espanhol Rafael Nadal classificou o drama em torno de Djokovic, que marca os preparativos para o Aberto da Austrália, que só começa dia 17 de janeiro, como “um circo”.

“Embora eu concorde ou não com Djokovic em algumas coisas, a Justiça falou e disse que ele tem o direito de participar no Aberto da Austrália, e eu penso que essa é a decisão mais justa”, afirmou Nadal à rádio espanhola Onda Cero.

(Reportagem de Sonali Paul e Ian Ransom, reportagem adicional de Byron Kaye, Cordelia Hsu, Loren Elliott e John Mair)

tagreuters.com2022binary_LYNXMPEI090F5-BASEIMAGE







[ad_2]

Fonte: Mix Vale