China ameaça contramedidas se EUA boicotarem Olimpíada de Inverno de Pequim

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

[ad_1]

WASHINGTON/PEQUIM (Reuters) – Políticos dos Estados Unidos deveriam parar de pedir um boicote diplomático à Olimpíada de Inverno de Pequim para evitarem danificar os laços bilaterais e a China adotará “contramedidas”, se for necessário, disse o Ministério das Relações Exteriores chinês nesta segunda-feira.

Acredita-se que o governo Biden anunciará nesta semana que autoridades do governo dos EUA não comparecerão à Olimpíada de 2022 em Pequim, noticiou a rede CNN no domingo.

Aqueles que pedem um boicote estão “querendo aparecer” e deveriam parar, “de maneira a não afetar o diálogo e a cooperação entre China e Estados Unidos em áreas importantes”, disse Zhao Lijian, porta-voz da chancelaria chinesa.

“Se os EUA insistirem em se ater deliberadamente a este caminho, a China adotará contramedidas resolutas”, disse ele em uma coletiva de imprensa.

No mês passado, o presidente norte-americano Joe Biden disse que estava cogitando tal boicote diplomático para protestar contra o histórico de direitos humanos da China, incluindo o que o governo dos EUA qualifica como o genocídio de muçulmanos minoritários. A gestão Biden é pressionada por ativistas e congressistas a evitar os Jogos.

A Casa Branca não quis comentar a reportagem da CNN no domingo. Quatro fontes a par do pensamento do governo já haviam dito à Reuters que é crescente o consenso dentro da Casa Branca sobre não enviar autoridades aos Jogos.

(Por Brad Heath)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEHB50LD-BASEIMAGE




[ad_2]

Fonte: Mix Vale