Preço de venda e aluguel de imóvel comercial tem alta em outubro – Economia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

[ad_1]


O preço médio de venda de salas e conjuntos comerciais de até 200 m² apresentou ligeira alta de 0,05% em outubro, em paralelo à elevação de 0,30% registrada pelo preço médio de locação do segmento, segundo o índice FipeZap, que monitora o preço nos anúncios em 25 cidades.


Comparativamente, ambas variações registradas foram inferiores à inflação medida pelo IPCA/IBGE (+1,25%) e pelo IGP-M/FGV (+0,64%).



No caso do preço de venda, foram registradas altas em:


• Brasília (4,21%);

• Curitiba (0,94%);

• Campinas (0,30%); e

• Niterói (0,09%).


Os recuos foram identificados em:


• Salvador (0,75%);

• Florianópolis (0,55%);

• Porto Alegre (0,43%);

• Rio de Janeiro (0,26%); e

• Belo Horizonte (0,05%).


Em São Paulo, o preço de venda do segmento oscilou novamente próximo da estabilidade (+0,02%).


Em relação ao preço de locação, houve alta em:


• Niterói (0,93%);

• Curitiba (0,77%);

• Brasília (0,72%);

• São Paulo (0,64%);

• Porto Alegre (0,48%);

• Florianópolis (0,21%); e

• Campinas (0,12%).


As variações negativas foram apuradas em:


•    Salvador (0,74%);

•    Belo Horizonte (0,26%); e

•    Rio de Janeiro (0,05%).



No acumulado de janeiro a outubro, o índice FipeZap de venda comercial registra ligeira queda nominal (0,12%), enquanto o índice de locação acumula uma alta nominal de 1,87% – ambas as variações inferiores às variações acumuladas pelo IPCA/IBGE (+8,24%) e pelo IGP-M/FGV (+16,74%) no ano.


Nós últimos 12 meses, o preço médio de venda apresenta uma queda de 1,14%, enquanto o preço médio de locação avança 1,54%. Comparativamente, esses resultados permanecem abaixo das variações do IPCA/IBGE (+10,67%) e do IGP-M/FGV (+21,73%).


Na área de vendas, as altas foram constatadas em:


• Brasília (4,85%);

• Curitiba (2,75%);

• Campinas (2,62%); e

• São Paulo (+0,24%).


Os recuos ficaram registrados em:


• Porto Alegre (4,59%);

• Florianópolis (4,34%);

• Belo Horizonte (3,88%);

• Salvador (3,48%);

• Rio de Janeiro (2,90%); e

• Niterói (1,74%).



Quanto ao preço médio de locação, as altas apuradas foram em:


• Curitiba (7,19%);

• São Paulo (2,86%);

• Campinas (2,28%);

• Porto Alegre (2,08%);

• Florianópolis (0,83%);

• Niterói (0,83%);

• Brasília (0,80%); e

• Belo Horizonte (0,31%);


As reduções de preço ocorreram em:


• Salvador (1,69%); e

• Rio de Janeiro (1,34%).


Antonio Banderas tem dificuldade para vender imóvel de R$ 30 milhões


[ad_2]

Fonte: R7