MPF pede anulação de teste físico do concurso do Depen em Maceió | Alagoas

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

[ad_1]

Uma ação civil pública movida pelo Ministério Público Federal, em Alagoas, busca anular o resultado do teste de aptidão física (TAF) do concurso para o preenchimento de vagas do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) por considerar que o local da prova não atendeu às exigências do edital.

De acordo com o MPF, há diversas manifestações de candidatos que alegam que foram prejudicados com a estrutura física do local escolhido para a realização do TAF, especialmente a pista de corrida do Instituto Federal de Alagoas (Ifal).

A ação busca, com pedido de tutela provisória de urgência, que candidatos do certame, reprovados no TAF, tenham garantidas a participação nas próximas fases do concurso. Na ação, o MPF pede ainda que, caso o pedido não seja acolhido pela Justiça, o concurso seja suspenso até o julgamento do mérito da ação.

O Centro Brasileiro de Pesquisas em Avaliação e Seleção de Promoção de Eventos o (Cebraspe), empresa responsável pela realização do concurso, respondeu ao questionamento do MPF afirmando que a “pista utilizada no teste atendeu aos parâmetros estabelecidos pelo edital, no tocante à estrutura rígida, firme e ao escalonamento a cada 10 metros”.

Ainda assim, fotos juntadas ao pedido do MPF mostram que “as condições físicas da pista não estão adequadas à realização desse tipo de exame, não sendo, portanto, a primeira vez que concorrentes são prejudicados em razão da escolha do local de prova física por parte do Cebraspe”. O órgão recorda que em setembro deste ano uma ação semelhante foi impetrada na Justiça por irregularidades no TAF do concurso da Polícia Rodoviária Federal.

Para o MPF, a escolha do local dos exames “comprometeram a correta e isonômica execução dos testes em Maceió, além de prejudicar os candidatos alagoanos em comparação aos candidatos de outros Estados do país”.

Veja os vídeos mais recentes do g1 AL

[ad_2]

Fonte:G1