Marcopolo inicia embarque de 472 ônibus para Costa do Marfim

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

[ad_1]

SÃO PAULO (Reuters) – A fabricante de carrocerias para ônibus Marcopolo começa nesta semana a embarcar para a Costa do Marfim um volume recorde de exportação para o continente africano.

Um navio fretado exclusivamente para a operação parte do Porto de Paranaguá (PR) nesta tarde com os primeiros 109 ônibus urbanos de um contrato total de 472 unidades, o maior negócio da Marcopolo em 2021, cujo valor não foi revelado.

A encomenda total, feita pelo governo marfinense e que inclui quase 400 veículos com capacidade para transportar 80 passageiros cada, 50 articulados movidos a gás natural, além de 25 microônibus, será entregue até julho do ano que vem.

O anúncio é um alento para a fabricante gaúcha que tem sido fortemente afetada pelos efeitos das medidas de isolamento social, que tem derrubado as encomendas por ônibus no Brasil e em vários outros mercados importantes para a companhia.

Segundo dados da Fenabrave, os emplacamentos de ônibus novos no Brasil nos primeiros 11 meses de 2021 foram 2,6% menores do que em igual período do ano passado, quando as vendas já haviam tombado 33%, já por causa da pandemia.

Diante desse cenário, a Marcopolo teve uma queda de 9% da receita líquida do terceiro trimestre contra um ano antes, com a companhia sendo forçada a dar férias coletivas em algumas unidades no Brasil, dadas as perspectivas da fraca demanda e o fim das entregas para o programa estatal Caminho da Escola.

Segundo o coordenador comercial de Mercado Externo da Marcopolo, Ângelo Luís Corsetti Oselame, a companhia ainda teve que fazer ajustes de última hora para honrar o contrato, uma vez que problemas na cadeia de suprimentos, como o de componentes eletrônicos, a fez buscar outros fornecedores para terminar a produção dos ônibus.

Apesar disso, Oselame, que comanda as operações internacionais da Marcopolo a partir de Dubai, disse que a companhia deve ter mais entregas para a região de África e Oriente Médio, para onde embarcou cerca de 5.000 veículos nos últimos seis anos.

“Temos outros bons projetos na região em andamento para 2022”, disse Oselame à Reuters.

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEHB80SG-BASEIMAGE







[ad_2]

Fonte: Mix Vale