‘Estação de monta’ facilita manejo do gado no interior de São Paulo | Nosso Campo

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

[ad_1]

Nas fazendas, este é o momento de cuidar da reprodução dos animais. Na primavera, é quando as pastagens estão com melhor qualidade e a exigência nutricional das vacas é maior.

De acordo com o veterinário Ulisses Bogaz Prato, as vacas irão emprenhar no período das águas. Como a gestação dura dez meses, o bezerro também irá nascer nesse período de boa pastagem, ótimo para serem desmamados e vendidos no peso ideal.

Essa prática é conhecida como “estação de monta”, quando as vacas são expostas ao touro ou quando é feita a inseminação artificial.

O principal objetivo do pecuarista que decide realizar essa prática é concentrar os nascimentos dos bezerros. Se a maioria das vacas pega cria na mesma época, vai parir também no mesmo período. Assim o rebanho fica mais uniforme e também no peso ideal.

Uma fazenda com 120 vacas criadas a pasto é voltada para a produção de touros reprodutores. A “estação de monta” é adotada há quase dez anos. Ela é feita com inseminação artificial e também com a monta natural. Esse tipo de manejo tem, inclusive, outra vantagem na hora de comercializar o gado.

O técnico de fazenda Fernando Komatsu explica que, com a “estação de monta”, consegue fazer um lote homogêneo, então facilita na hora de comercializar, pois vende tudo na mesma época. Fernando também diz que a programação acaba ajudando até para cuidar de aspectos sanitários dos animais.

(Vídeo: veja a reportagem exibida no programa em 05/12/2021)

‘Estação de monta’ facilita manejo do gado no interior de São Paulo

“O lote homogêneo você consegue vacinar todos que estão na mesma idade, então as vacinas são todas feitas tudo de uma vez. Também tem a questão das fêmeas que fazem a vacina reprodutiva que é de brucelose, são de três a oito meses de idade, então eu consigo fazer tudo em uma vez só isso aí também”, explica o técnico.

No município de Lavínia (SP), a preparação da boiada para a “estação de monta” em uma propriedade vem sendo feita todo o ano. O plantel conta com 175 vacas.

O pecuarista Marco Antônio Scarano conta que realiza essa prática desde 2018. Ele começou com a monta natural e hoje realiza um protocolo de Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF), que permite maior controle sobre a ovulação, tornando possível inseminar um grande número de vacas em menor tempo.

A “estação de monta” não é unanimidade entre os pecuaristas, mas quem faz há alguns anos defende que vale a pena, pois diz que ajuda a manter a competitividade.

Marco também comenta que, com a alta dos insumos, se não tocar o gado com organização, a conta não fecha no final. Com tudo controlado, a atividade pode ser muito mais rentável.

O planejamento hoje tem muita importância em qualquer propriedade que queira aumentar a lucratividade. Produzindo animais que vão nascer na mesma época, melhores e mais pesados, a lucratividade será maior.

VÍDEOS: veja mais reportagens do programa

[ad_2]

Fonte:G1