Brasileiro cria café especial em homenagem ao criador do Bitcoin

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

[ad_1]

Um brasileiro que chamou a atenção do mercado financeiro nacional por vender café especial faz uma homenagem ao criador do Bitcoin.

Com a The Coffee Trade, Thiago Trovo diz ter criado um produto para atender aos exigentes traders do mercado financeiro nacional, que merecem produtos melhores para apreciar enquanto fazem suas operações.

Se apresentando como um “Assessor de Café”, ele criou sua empresa em 2020, após falir operando na bolsa de valores brasileira. Ao Livecoins, Thiago contou um pouco da sua história, inclusive com o mercado de criptomoedas.

Dezesseis anos de experiência com cafés especiais

Após entrar na faculdade de economia, Thiago Trovo percebeu uma oportunidade de se dedicar a uma área que ele gostava mais: café. Ao abandonar sua faculdade logo no primeiro período e aos 18 anos, ele se dedicou a conhecer mais sobre essa fruta e como ela poderia chegar melhor para os consumidores.

Natural de São José do Rio Preto, ele se mudou para São Paulo, e com sua experiência ele teve a oportunidade de ir morar no Canadá. Lá ele se aprofundou nos estudos sobre o café, com três anos conhecendo mais sobre torra e com experiências sensoriais que mudaram sua relação com este mercado.

Contudo, ele identificou que para aprimorar seus conhecimentos deveria voltar ao Brasil, para ficar mais próximo da produção do café. Ao retornar, ele trabalhou 1 ano para a BSCA no setor de café especial.

Após essa experiência, ele passou 8 anos em um grupo vendendo café brasileiro pelo mundo, com várias viagens a trabalho e aprofundando ainda mais os seus conhecimentos sobre o mercado que se apaixonou desde cedo.

Durante a pandemia, ele estava em um trabalho de exportação de café torrado, mas já estava operando Dólar na bolsa. Em dezembro de 2020, vindo de uma sequência de ganhos, Thiago teve um grande prejuízo na bolsa de valores brasileira.

Tentando reaver seu prejuízo, ele perdeu todo seu dinheiro, falindo completamente. Neste momento, em conversas com amigos traders, surgiu a ideia da The Coffee Trade, empresa em que é o único dono e nasceu para atender ao mercado de traders.

É pior tomar café ruim que perder dinheiro na bolsa?

Ciente dos riscos de se perder dinheiro na bolsa de valores, Thiago acredita que tomar café ruim é ainda pior, principalmente no longo prazo. Segundo o investidor Trovo, essa é uma fruta que deve estar em boas condições para ser tomada, algo que o café tradicional não oferece.

Os benefícios de se consumir café de qualidade são vasculares, prevenção ao Alzheimer, Parkinson e até mais disposição, explica o especialista.

“Sem dúvida nenhuma, no longo prazo, tomar café tradicional é o maior prejuízo dos traders.”

Dessa forma, Thiago criou uma empresa que não vende apenas café, mas também conhecimento sobre o assunto. Segundo ele, quem adquire seus produtos “ganha de brinde” uma consultoria, podendo esclarecer dúvidas sobre o consumo do café, desde o uso correto dos itens até a compreensão de detalhes técnicos da produção.

Além disso, ele garante que seus produtos têm qualidade da produção até a chegada ao consumidor e, também trabalha com a diversificação de linhas de produtos com as chamadas “Conservador” e “Arrojado”.

O consumidor que opta pela linha Arrojado tem uma experiência diferente, com cafés campeões de competições, entre outros de linhas especiais.

“Não entendo muito de Bitcoin e até tenho receio com a volatilidade”, diz brasileiro que vende café em homenagem ao criador da moeda

O The Coffee Trade tem procurado criar marcas especiais de café associadas ao mercado financeiro e com sátiras. Um dos cafés vendidos é o Star Loss, que carrega a imagem do “Nonô, o Vovô Investidor”, um perfil de humor famoso no Twitter Financeiro (FinTwit) que compartilha seus prejuízos em operações no mercado.

Mas um item especial dentre os produtos é o Satoshi Nakamoto’s Coffee, uma homenagem declarada de Thiago ao criador do Bitcoin. Segundo ele, este café especial leva características únicas da linha arrojada, influenciado por um estilo de torra presente no Japão.

“O Nakamoto’s, que é uma óbvia homenagem ao criador do Bitcoin, é um Oi ao público do mercado.”

Os grãos utilizados neste café vem das montanhas do Espírito Santo, sendo um dos cafés mais especiais produzidos pela The Coffee Trade, que inaugurou formalmente em fevereiro de 2021, segundo seu dono.

Satoshi Nakamoto
Satoshi Nakamoto’s Coffee, o café brasileiro em homenagem ao criador do Bitcoin /Crédito: The Coffee Trade

Em conversa com o Livecoins, Thiago disse que já aceitou Bitcoin como pagamento em apenas uma ocasião, um valor pequeno que ele ainda não converteu para Real. Estruturando para melhorar seu e-commerce em 2022, ele acredita que deverá colocar o Bitcoin como opção de pagamento em breve.

Como investidor na bolsa, agora com mais cuidados após falir no último ano, Trovo disse que não faz trade de Bitcoin, um ativo que ele ainda tem certo receio pela volatilidade. Com relação aos seus conhecimentos no setor, ele considera que são baixos ainda, mesmo sendo um investidor da bolsa há seis anos.

Sua plataforma trabalha apenas com pedidos, logo não é possível pagar pelo produto direto pelo site. No próximo ano ele pretende implementar os meios de pagamentos e até criar um sistema de assinatura de café, cenário que ele está trabalhando arduamente para permitir que seus clientes tenham cada vez mais experiências únicas com seu produto.

Vale lembrar que, na comunidade Bitcoin, a vontade de se comprar um café com a moeda digital no cotidiano é um dos maiores sonhos dos entusiastas da tecnologia.



[ad_2]

Fonte: R7