Teste rápido: Ford Maverick tem motor de sobra, fórmula de Toro e preço de Ranger

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

[ad_1]

Ford Maverick

Caso você tenha mais de 30 anos ou gosta de acompanhar o mundial de motovelocidade, ao que o nome Maverick te remete:

A) a um modelo, cuja produção nacional ocorreu entre 1973 e 1979, oferecendo duas ou quatro portas, com opção de motores de quatro/seis cilindros e V8 302, na versão GT, de 197 cv de potência;
B) ao personagem do filme Top Gun – Ases Indomáveis, de 1986, interpretado pelo ator Tom Cruise;
C) ao piloto espanhol Maverick Viñales da Aprilia no MotoGP.

Brincadeiras à parte, agora vamos ao que (realmente) interessa. Afinal, a Ford lançou em nosso mercado a picape monobloco Maverick. E a novidade chega trazendo na alça de mira a Fiat Toro, sendo um produto de grande importância global para a marca do oval azul. “Com ela, queremos ampliar a oferta no Brasil”, conta Marcel Bueno Silva, diretor de marketing/vendas para o Brasil e América do Sul.

Desenvolvida e testada da mesma maneira que a Ford F-150, comercializada no mercado norte-americano, a Maverick chega às concessionárias unicamente na configuração Lariat FX4 por R$ 239.990 (R$ 245.990 para São Paulo). Muitos podem se questionar sobre a proximidade de valores com a “irmã” Ranger, mas de acordo com a Ford os utilitários focam em públicos distintos.

+ Ford GT ganha edição limitada Alan Mann Heritage
+ Ford lança picape F-150 V6 híbrida na Argentina; assista
+ Ford revela novo Bronco Raptor V6 com mais de 400 cv; assista
+ Ford Mustang Shelby GT500 ganha versão Lego

Visual limpo e linha de cintura baixa

Ao todo, foram mais de 10.000.000 de quilômetros percorridos no desenvolvimento e 500.000 km rodados no Campo de Provas do fabricante, em Tatuí, no interior de São Paulo, para adequar a Maverick às nossas condições. Logo mais falaremos do que é exclusivo para o Brasil.

Exibindo uma silhueta quadrada, o design da Ford Maverick, dependendo do ângulo visto, nos transporta diretamente para as linhas da F-150. A dianteira exibe os grandes faróis Full LED trazendo o arranjo interno com as luzes de circulação diurna (DRL) na porção superior, os indicadores de direção ao centro e na parte inferior estão o farol alto/baixo. Os dois conjuntos ópticos são conectados por uma barra central ao passo que também foram instalados dois ganchos de fixação funcionais no para-choque.

As laterais se destacam pela linha de cintura baixa e as rodas de 17” calçam pneus Pirelli Scorpion ATR de medidas 225/65. Na coluna B é encontrado um teclado numérico, como tinha no Ford Fusion, permitindo acessar o habitáculo sem a necessidade da chave.

Atrás, os destaques vão para o nome Maverick gravado na tampa da caçamba, assim como as lanternas verticais também conectadas por uma barra e o para-choque exclusivo com o local da placa Mercosul deslocado à direita por conta do reboque central.

Em dimensões, a Ford Maverick deriva da plataforma do SUV Bronco Sport Wildtrak e possui 5,073 m de comprimento (5,354 m na Ranger), 1,733 m de altura (1,821 m na Ranger), 1,844 m de largura e bons 3,076 m de entre-eixos. Para comparar, a Fiat Toro Ultra, por exemplo, mede 4,945, 1,735 m, 1,845 e 2,990 m, respectivamente.

A caçamba da Ford Maverick possui capacidade de carga de 617 kg e volumétrica de 934 litros – a tampa do compartimento de cargas suporta até 250 kg e pode ser travado em dois níveis. Lá trás, o espaço oferta 1.344 mm de comprimento, 1.353 mm de largura, 516 mm de altura e há um abridor de garrafas, como no utilitário esportivo Bronco Sport Wildtrak, e ainda um compartimento lateral com preparação elétrica.

Ford Maverick Lariat FX4
Foto: Divulgação

A palheta de cores externas é formada pelas tonalidades vermelho Aurora, laranja Delphi, azul Lyse, azul Indianápolis, azul Malacara, cinza Dover, prata Orvalho, cinza Torre, preto Astúrias e branco Ártico.

+ Avaliação: Ford Mustang Mach 1 é o melhor esportivo para comprar hoje
+ Conheça o motorhome Ford F750 World Cruiser de R$ 32,8 milhões
+ Bronco Sport surfista: Ford e Osklen realizam parceria; entenda
+ Ford cria sistema de entregas na Europa que usa veículos de clientes; assista

Habitabilidade

O acesso ao habitáculo é melhor comparado ao da Fiat Toro e uma vez dentro o acabamento exibe elementos em azul e no tom cobre. Também chama a atenção o desenho dos puxadores de portas e a ergonomia é beneficiada pelos comandos muito bem posicionados à mão, o banco do motorista regulável eletricamente em oito posições (o do passageiro manualmente em seis) e a coluna de direção amplamente regulável em altura/profundidade.

Quem viaja atrás encontra um bom espaço para as pernas/joelhos por conta do entre-eixos de mais de três metros. Além disso, foram instaladas duas entradas USB (USB-A e USB-C) e os porta-objetos das portas acomodam garrafas de até um litro e duas de 600 ml.


Um compartimento de 73 litros está posicionado sob o assento traseiro e ainda há espaço para a instalação de acessórios, como divisórias, para citar. Os tapetes possuem um formato de bandeja trazendo as abas laterais mais pronunciadas. E os praticantes de esportes é possível levar uma bicicleta disposta lateralmente na cabine da Maverick.

Ford Maverick Lariat FX4
Foto: Divulgação

A lista de funcionalidades traz o multimídia SYNC de 8” com Android Auto/Apple CarPlay, o freio de estacionamento elétrico, a função Auto Hold (mantém o veículo parado sem a necessidade de pressionar o pedal do freio), o controle automático de descida, os sete airbags, o quadro de instrumentos com tela de 6,5”, o seletor de modos de condução e janelinha do vidro traseiro aberta eletricamente por um botão no painel. 

Motor 2.0 turbo garante disposição de sobra

Sob o capô, o motor 2.0 turbo GTDI EcoBoost está atrelado ao câmbio automático de oito marchas (Ford 8F35) para assegurar 253 cv a 5.500 rpm e 38,7 kgfm a 3.000 rpm – os números de desempenho do SUV Bronco Sport Wildtrak são de 240 cv e 38 kgfm.

Algumas mudanças foram realizadas para adequar o Maverick às nossas condições. Entre elas, a Ford diz que realizou uma calibração específica para o nosso combustível, mexeu nas suspensões e otimizou as trocas de marchas.

Ao volante, o Ford Maverick transmite a sensação de sobrar motor para a picape, pois as reações são ligeiras, seja nas acelerações quanto nas retomadas. É um veículo que acorda rápido ao menor toque do pedal do acelerador e o desempenho é ainda auxiliado pela tração AWD. A direção assistida eletricamente é ágil ao esterço, sendo leve em baixas velocidades e transmitindo o peso correto ao andar mais apressadamente.

Foto: Divulgação

Também é um ponto-alto da Ford Maverick o ajuste das suspensões (multilink atrás) com os amortecedores hidráulicos desenvolvidos exclusivamente para o nosso mercado. Ou seja, o utilitário não demonstra a tendência da frente erguer nas acelerações tampouco de mergulhar nas frenagens, além de garantir uma dinâmica elogiável para um veículo deste tipo. No entanto, a altura em relação ao solo de 218 mm e o ângulo de ataque de 20,6º (saída de 21,2º) faz a frente raspar ao transpor valetas ou lombadas, dependendo do ângulo e da altura do obstáculo.

+ Avaliação: Ford Ranger Black é pra quem não usa 4×4. Vale a pena?
+ Teste rápido: Ford Bronco Sport seduz por dirigibilidade e capacidade off-road

Na cidade, o conjunto filtra e absorve muito bem as irregularidades do asfalto e o câmbio automático de oito marchas passa brevemente as marchas para focar no consumo. Aliás, ao trafegar a 100 km/h o ponteiro do conta-giros repousa nas 1.650 rpm (120 km/h a 2.000 rpm) e durante nosso primeiro contato, foi possível registrar médias rodoviárias de 12,3 km/l e urbanas de 8,7 km/l bebericando gasolina (a Maverick não é flex). Ainda falando de eficiência, o Start-Stop possui um funcionamento suave tanto ao desligar quanto religar o propulsor 2-litros e a grade dianteira é ativa.

Estão disponíveis cinco modos de condução: Normal, Lama/Terra, Areia, Escorregadio e Rebocar, o qual otimiza as trocas de marchas (eleva a rotação para uma faixa de torque mais alta), promove uma maior sensibilidade do controle de tração e despeja a potência de forma mais gradual para evitar trancos ou solavancos.

Ford Maverick Lariat FX4
Foto: Divulgação

Em segurança, além dos sete airbags há ainda o assistente de pré-colisão com frenagem de emergência e detecção de pedestres/ciclistas (funciona até 50 km/h), farol alto automático, assistente de frenagem pós-colisão, monitoramento da pressão dos pneus, controles eletrônicos de tração/estabilidade, controle automático de descida (funciona de 30 a 5 km/h) e assistente de partida em rampas. Inexistem os sensores de estacionamento frontais e traseiros, os quais são vendidos à parte.

Já pelo aplicativo Ford Pass Connect é possível realizar a partida remota com climatização, localização do utilitário, agendar as revisões na rede de concessionários, saber a pressão dos pneus, travar/destravar as portas remotamente e receber alertas de acionamento do alarme, por exemplo.

As revisões acontecem a cada 12 meses ou 10.000 km e a Ford Maverick pode vir blindada de fábrica no nível 3A por R$ 78.500 extras. Mais de 18 acessórios estão disponíveis. Entre eles, a capota marítima rígida/elétrica, os alargadores de para-lamas (carro das fotos), o prolongador de caçamba e o kit de reboque. Já quem ficou se perguntando sobre a vinda da variante híbrida da Maverick por enquanto ela não está nos planos para o nosso mercado.


FICHA TÉCNICA

FORD MAVERICK LARIAT FX4 2022
Preço básico: R$ 239.990 (R$ 245.990 para São Paulo)
Carro avaliado: R$ 239.990 (R$ 245.990 para São Paulo)

Ford Maverick Lariat FX4 2022
Motor: quatro cilindros em linha, 2.0, 16V, turbo, injeção direta
Cilindrada: 1999 cm3
Combustível: gasolina
Potência: 253 cv a 5.500 rpm
Torque: 38,7 kgfm a 3.000 rpm
Câmbio: automático, oito velocidades, trocas sequenciais
Direção: elétrica
Suspensão: MacPherson (d) e multilink (t)
Freios: disco ventilado (d) e disco sólido (t)
Tração: integral
Dimensões: 5,073 m (c), 1,844 m (l), 1,733 m (a)
Entre-eixos: 3,076 m
Pneus: 225/65 R17
Caçamba: 943 litros
Tanque: 67 litros
Peso: 1.744 kg
0-100 km/h: 7s2
Velocidade máxima: 175 km/h (limitada eletronicamente)
Consumo cidade: 8,8 km/l
Consumo estrada: 11,1 km/l
Emissão de CO2: 151 g/km*
Nota do Inmetro: C*
Classificação na categoria: A (Picape) *
*Estimado

MAIS NA MOTOR SHOW:

+ IPVA SP 2022: veja quando começa o vencimento do desconto de 5%
+ Qual é a melhor versão do Jeep Compass 2022?
+ Nova CNH em 2022: a troca será obrigatória? Veja como ficou
+ Comparativo: Jeep Commander vs. Caoa Chery Tiggo 8
+ Avaliação: elétrico Volvo C40 estreia no Brasil e marca história da Volvo; nós já o aceleramos
+ Confira quais foram os 10 veículos mais roubados em SP durante 2021
+ CNH: grupo de motoristas deve renovar documento em fevereiro; veja
+ Conheça a primeira Kombi elétrica da Volkswagen, de 1972
+ Teste rápido: novo Mercedes Classe C anda muito e gasta pouco
+ BYD inicia as vendas do Tan EV, SUV elétrico de 7 lugares; confira o valor

 



[ad_2]

Fonte: Motor Show