Great Wall promete produção de carros que fazem até 208 km/l no Brasil

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

[ad_1]

Os planos da Great Wall para o Brasil são ousados e gigantes. Com o objetivo de tornar o nosso país seu segundo maior mercado, a marca chinesa quer superar a CAOA Chery e vai investir R$ 14 bilhões no nosso mercado. A promessa é vender somente carros eletrificados, que podem chegar a fazer 208 km/l.

Os primeiros passos do ousado plano da Great Wall no Brasil é de trazer carros importados da China. Serão 10 lançamentos nos próximos três anos divididos entre as marcas Haval, Tank e Poer. Até o último trimestre de 2022, chega a primeira leva, enquanto a picape média Poer fica para o ano que vem.

Todos os carros vendidos pela Great Wall no Brasil serão eletrificados de alguma maneira. Ou seja, híbridos do tipo normal, híbridos plug-in ou 100% elétricos. A marca de carros elétricos Ora, que produz um Fusca moderno movido a baterias, também está no radar da Great Wall para o Brasil.

Haval Chitu [divulgação]
Haval Chitu [divulgação]

Fase nacional

A partir da segunda metade de 2023 que o Brasil vai começar a fabricar os carros da Great Wall na fábrica de Iracemápolis, que era da Mercedes-Benz. A marca afirmou que os modelos nacionais ainda não foram revelados nem na China, mas isso deve acontecer em abril em Pequim.

O primeiro investimento de R$ 4 bilhões acontecerá até 2025 para aprimoramentos na fábrica e para a instalação de um centro de pesquisa e desenvolvimento. Entre 2026 e 2035, a marca aportará outros R$ 10 bilhões para ampliar a capacidade produtiva de olho na exportação e nacionalização de mais veículos.

Great Wall Poer [divulgação]
Great Wall Poer [divulgação]

Boa parte desse investimento também será feito para o desenvolvimento de carros movidos a célula de combustível baseada em etanol. Um sistema híbrido flex, atualmente exclusividade da Toyota, também será feito pela Great Wall para o Brasil. Para isso, serão construídos carros na plataforma LMN.

A base modular traz motor 1.5 quatro cilindros turbo com diversas possibilidades de baterias e conjuntos híbridos. Segundo a marca, a potência varia entre 230 cv e 430 cv, enquanto o torque fica entre 41,8 kgfm e 77,7 kgfm, dependendo dos motores elétricos. Mas o que impressiona é o consumo.

Great Wall
Haval Jolion [divulgação]

Os modelos eletrificados da Great Wall podem ter consumo entre 75 km/l e 208 km/l graças ao sistema híbrido. As versões plug-in ainda poderão rodar até 200 km somente na eletricidade – tornando eles os híbridos plug-in com maior autonomia elétrica à venda no Brasil. Haverá também carros com base LMN 100% elétricos com potência entre 71 cv e 272 cv.

Revendas e empregos

Com tantos investimentos, a Great Wall espera gerar 2.000 empregos diretos e indiretos já na primeira fase. A expectativa é faturar R$ 30 bilhões já em 2025. Para isso, abrirá 130 lojas em 112 cidades nos 18 primeiros meses de operação. Serão 25 a 30 grupos envolvidos nos quais a marca chinesa promete cobrir 100% do território brasileiro.

Great Wall
Ora Cat [divulgação]

O nosso país também será o ponto central da operação da Great Wall para a América Latina. Ou seja, seremos exportadores dos modelos da marca para os países vizinhos, que podem chegar também a todo território americano.

>>Great Wall lançará SUV parrudo chamado “Cachorro Legal”

>>Fusca da GWM aparece em versão de produção sem detalhes do VW

>>Great Wall revela picape intermediária entre RAM 1500 e Chevrolet S10

[ad_2]

Fonte: Revista Carro