Entenda como funciona o seguro de carro elétrico

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

[ad_1]

Cobertura diferenciada? Valor extra para eletrificados? Entenda o que pesquisar na hora de buscar um seguro de carro elétrico

Os carros elétricos estão ganhando seu espaço no mercado brasileiro. Eles ainda representam uma minoria nas ruas, é verdade, mas em 2021 somaram 2.860 emplacamentos. Se considerarmos juntos os híbridos, o ano passado bateu o recorde na venda de automóveis e comerciais leves com algum nível de eletrificação, totalizando 34.990 unidades emplacadas, segundo dados divulgados pela Anfavea com base no Renavam.

Um empecilho à sua popularização é a falta de infraestrutura de carregamento, tanto nas residências quanto nas estradas para trajetos maiores. Mas o preço elevado também é uma grande barreira: o modelo 100% elétrico mais barato hoje no mercado brasileiro é o JAC E-JS1, de R$ 164.900. E com o preço maior, o seguro também tende a ser maior, já que considera o valor do veículo. 

Mas será que as apólices de carros elétricos são diferenciadas? A resposta é: depende. Na Youse, por exemplo, as condições e coberturas oferecidas são as mesmas independentemente do tipo de motorização.

“A Youse não cobra nada a mais pelo fato de o carro ser elétrico. A cotação é realizada com base no valor do carro e perfil do cliente, como ocorre com um carro a combustão comum, convencional. Isso barateia o preço do seguro auto em relação às demais seguradoras, que cobram taxas variando de acordo com o tipo de propulsão do veículo”, afirma Nícolas Ferrara, Gerente de produto na Youse.

Por isso, é preciso pesquisar e analisar as condições, os serviços inclusos e os preços que cada empresa oferece. “Com relação aos serviços, no caso de uma descarga de bateria, por exemplo, o cliente será atendido normalmente através da nossa assistência 24h, podendo solicitar ajuda através do nosso APP, que encaminhará um reboque ao local e transportará o veículo até a oficina especializada, concessionária ou ponto de carga de bateria mais próxima”, completa Ferrara.

Já a Zurich, além das tradicionais coberturas contra colisão, roubo e incêndio, adiciona no caso de carros elétricos e híbridos assistência 24 horas com atendimento concierge, parceria com rede de oficinas especializadas e cobertura para os cabos de carregamento em caso de roubo/furto (opcional).

E se você está pensando em comprar um carro elétrico também deve ficar atento às restrições das seguradoras, que podem não cobrir esse tipo de veículo e reduzir a sua oferta de opções.

Na Youse, Ferrara explica que a procura pelo Seguro Auto para este tipo de carro dobrou de 2020 para 2021, de modo que a empresa precisou expandir a lista de veículos cobertos. Agora, é possível fazer seguro para modelos elétricos que custam até R$ 200 mil. Porém, isso ainda restringe bastante a lista, deixando de fora, por exemplo, Fiat 500 elétrico, Peugeot 208 e-GT, BMW i3 e Nissan Leaf, sem contar as marcas de luxo como Mini, Volvo e Audi.

Vale a pena ficar atento ainda às oficinas, que precisam estar aptas a receber e trabalhar com esse tipo de veículo. Isso demanda mão de obra qualificada, conhecimento técnico específico e ainda conhecimento de normas de segurança que são fundamentais. Muitas seguradoras trabalham com uma lista de oficinas credenciadas, mas o cliente pode realizar o serviço em uma oficina de confiança ou até mesmo em uma concessionária. Aqui o que importa é procurar um local que esteja atualizado para atender os veículos eletrificados.

Depois de saber o que avaliar e o que pesquisar na contratação do seguro, vem o preço. A Youse informou a cotação para três opções de modelos elétricos, como referência. Todas usam o mesmo perfil: homem de 38 anos, morador de São Paulo e com classe de bônus 0. Veja abaixo os valores:

  • JAC E-JS1: R$ 4.374,24
  • Renault Zoe Zen: R$ 4.785,00
  • Caoa Chery Arrizo 5 E: R$ 8.436,24

Foto: Divulgação

[ad_2]

Fonte: Revista Carro